Pular para o conteúdo principal

"...O que anda sabiamente escapará." Provérbios 28.26b

 


"...O que anda sabiamente escapará." Provérbios 28.26b

Qualquer pessoa que reflita minimamente no modo como as multidões estão vivendo na sociedade atual chegará à conclusão de que os indivíduos estão presos, desde a infância, em um gigantesco "labirinto social" repleto de ilusões, armadilhas, ameaças, dores e sofrimentos (internos e externos). Tal labirinto, embora eles não saibam, é o próprio estilo de vida que as pessoas têm cultivado. De fato, na sociedade fomos, e ainda somos, ensinados desde muito cedo a lutar para construir, solidificar e sofisticar nosso estilo de vida, tendo como base o desenvolvimento e o fortalecimento, unicamente, do nosso "Eu social", ou seja, a imagem social que temos de nós mesmos, usando como parâmetro o que as vozes da coletividade nos dizem sobre quem somos ou podemos ser; mas ao agirmos dessa maneira, chamada de normal pela maioria, não percebemos que o que estamos fazendo é, em ultima análise, fortalecer, enfeitar e sofisticar tudo o que nos está mantendo presos, incluindo os labirintos sociais e mentais nos quais estamos inseridos.

Para a maioria das pessoas, independentemente da "classe social", o chamado estilo de vida moderno tem sido apenas um vaguear inconsciente, perdido, alienado, no qual estão sempre transitando ora no labirintos físico da sociedade e ora no labirinto mental dentro de si mesmos, pois um é o reflexo do outro; de modo que nesse contexto, a vida, para essas pessoas, deixa de ser uma  experiência magnífica de existência com a qual fomos premiados por Deus, e passa a ser apenas algo que eles precisam suportar da melhor maneira que conseguirem, algo que tem ficado cada vez mais pesado, enfadonho e sem sentido, mesmo quando eles conseguem tudo aquilo que a sociedade diz que fará qualquer um feliz e realizado. Assim, gradativamente, ao contrário do que é alardeado pelas inúmeras vozes do senso comum e do status quo, as pessoas começam a perder suas forças, esperanças, alegria, fé, e até o amor a si mesmos, ao próximo e a Deus. E esse é o principal objetivo dos labirintos sociais e mentais desenvolvidos pelo espírito do mundo, eles drenam toda a vitalidade das pessoas para que desperdicem todo o tempo que lhes foi concedido sobre a face da terra das maneiras mais inconscientes, irrelevantes e fúteis possíveis.

Mas a boa notícia é que há uma saída.

E qual é essa saída? Onde ela está?

A saída é a sabedoria; e embora as pessoas não saibam, tal virtude já está dentro de cada um de nós, pois ela também foi um dos dons que foram dados a humanidade através da obra redentora de Cristo; como está registrado em Efésios 4.8, que diz: "...Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens."; na verdade, por causa de Cristo, absolutamente todo ser humano possui sabedoria dentro de si em uma intensidade suficiente para sanar e resolver todos os problemas e lidar com todas as adversidades, internas e externas, que estão enfrentando ou que ainda vão enfrentar, mesmo as mais desafiadoras; por isso também é que o texto de 1 Coríntios 10.13 diz que jamais seremos tentados acima de nossas forças, pois Deus já nos deu condições (dentre as quais está a sabedoria) para lidar com todas as tentações que surgirem diante de nós. Em outras palavras, o que esse texto está dizendo é que o Criador já nos deu a sabedoria necessária para compreendermos todas as coisas adequadamente e fazermos as melhores escolhas, de modo a escapar das tentações. O problema é que as multidões dentro e fora das congregações, estão tão entretidas, distraídas e fragmentadas com todas as coisas que há na sociedade, assim como, cada qual com a tagarelice interminável da sua própria mente natural (carne/Ego) que narra, comenta, julga, reclama e opina sobre tudo, o tempo todo; que os indivíduos não conseguem perceber que a sabedoria (a solução prática para todos os dilemas, problemas e tentações na vida já lhes foi concedida), como o fabuloso texto de 2 Pedro 1.3 deixa claro ao afirmar: "Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida...".

Ora; se o divino poder de Deus já nos deu tudo o que precisamos para viver, certamente a sabedoria está inclusa, pois ela nos faz despertar para a verdade e nos mostra qual é a maneira mais adequada de lidarmos com absolutamente tudo o que faz parte da nossa existência, tanto as coisas boas e prazerosas como as ruins e desafiadoras. A maioria da humanidade, mesmo os que estão dentro das mais diversas congregações, não estão vivendo da melhor maneira que podem simplesmente porque se deixaram convencer, pela sociedade, a soterrar, cada vez mais fundo, a sabedoria que lhes foi dada, sob uma quantidade crescente de todo o tipo de pensamentos, sentimentos, emoções, desejos, palavras, ações, ambições, sonhos e as mais diversas vaidades superficiais e totalmente desnecessárias, como se tais coisas fossem a "quintessência" da vida.

Dessa forma, com a sabedoria soterrada e sufocada debaixo de tão grande quantidade de coisas psicossociais, qualquer um passará toda a vida correndo, perdido, dentro dos labirintos internos e externos que existem, sem nunca se dar conta de que estão transitando entre prisões das quais não conseguem, mas precisam, escapar.

Mas não é assim com os verdadeiros cristãos(as), pois todos os que realmente ouvem a voz de Cristo através da Escritura Sagrada, são ensinados a aliviar todos os fardos psicossociais que antes carregavam; dessa forma conseguem gradativamente ir "desenterrando" a sabedoria dentro deles na mesma medida em que vão se desvencilhando de todas as superficialidades, banalidades, futilidades e excessos sociais, internos e externos, aos quais estavam apegados e que lhes serviam apenas como grandes "correntes" para o corpo, assim como" âncoras" para mente e espírito. Assim sendo, sem a esmagadora influência (e pressão) dos fardos físicos, mentais e espirituais que o espírito do mundo usa a sociedade para exercer sobre os indivíduos; os cristãos genuínos tornam-se cada vez mais livres para usar a sabedoria como um maravilhoso instrumento capaz de fazer com que se localizem dentro dos labirintos psicossociais e, dessa maneira, consigam finalmente encontrar um caminho iluminado e seguro para fora dessas terríveis prisões modernas que, em última análise, são o próprio estilo de vida das pessoas atualmente. Por esse motivo, também, é que Provérbios 28.26b enfatiza que: "...O que anda sabiamente escapará.".

Comentários

  1. muito bom, estou gostando muito desta página pois a cada dia que se passa aprendo mais sobre o que realmente importa e estou aprendendo como ter mais sabedoria nas minhas ações, agradeço pola existência do site, obrido mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Calvino!
      Obrigado por deixar o seu comentário aqui.
      Fico contente em saber que você gostou do texto. Agradeço a Deus por isso.
      Que a Luz de Cristo produza em você cada vez mais consciência, clareza, e lucidez de pensamento, e de fé, de tal maneira que todos ao seu redor sejam abençoados.
      Grande abraço.💖👍😊

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista