Pular para o conteúdo principal

"...Onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade." 2 Coríntios 3.17


"...Onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade." 2 Coríntios 3.17

Jesus não veio à terra apenas para libertar você das garras do espírito do mundo e das ilusões, fantasias, sonhos e mentalidades da sociedade. Na verdade, Cristo veio principalmente para libertar você de você mesmo.

E o que isso significa?

Quando o pecado original foi consumado através de Adão e Eva, toda a raça humana tornou-se corrompida, e portanto, corrupta, de formas tão profundas que ainda hoje não temos total noção da quantidade de efeitos nocivos que essa corrupção provocou em nós; porém, para não nos deixar vagando pela existência em meio à nossa própria escuridão que se formou dentro da humanidade por causa do pecado inicial, Cristo veio ao mundo e fez conhecida a sua palavra para iluminar a humanidade e apontar claramente os vários efeitos e sintomas provocados em nós pela queda da espécie humana. Dessa forma a luz de Cristo se fez em um caminho seguro para que pudéssemos adquirir consciência do nosso antigo estado de degradação interior e conseguíssemos caminhar para fora de nossas próprias trevas mentais e espirituais, de modo que nos tornamos morada para o Espírito da luz de Cristo, o Espírito Santo; e uma vez abrigando o Espírito de Deus no nosso espírito, alcançamos unidade com ele, pois como está registrado em 1 Coríntios 6.17: "O que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito.", assim encontramos clareza e lucidez interior para identificar e nos desvencilhar das mais diversas artimanhas e armadilhas com as quais o espírito do mundo manipula e governa as pessoas na sociedade ao nosso redor.

Quando nos tornamos conscientes da presença e da unidade do Espírito de Deus em nós conseguimos ver com certo distanciamento, e plenamente, todo o conjunto de influências, estímulos, impulsos, vaidades, projeções, paixões, distrações e aversões que foram anteriormente implantadas em nós pela sociedade, sob a influência sorrateira e dissimulada do espírito do mundo; para nos fazer constantemente inquietos, insatisfeitos, infelizes, tristes, miseráveis, e escravos, mesmo se conseguirmos alcançar e acumular todas as vitórias e tesouros sociais tão desejados e perseguidos pela coletividade; por isso também foi registrado em Apocalipse 3.17 o texto que fala: "Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta (e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu)". Porém, quando adquirimos essa consciência de que todo esse conjunto infame de fenômenos está dentro de nós "borbulhando" e procurando brechas e maneiras diversas de nos induzir aos mais variados erros e enganos, começamos a usar tal consciência iluminada como base para ver, sentir, perceber e interpretar tais fenômenos a partir de uma perspectiva diferente, superior, ou seja, com cada vez mais distanciamento interno entre essas coisas e quem nós somos; em outras palavras, deixamos de considerar tais fenômenos corrompidos como parte do nosso "Ser essencial" e passamos a compreendê-los apenas como coisas que estão dentro de nós como consequência do tempo em que passamos ignorantes à sua origem, existência, e ação no nosso interior. Foi, também, demonstrando esse entendimento que o apóstolo Paulo relatou o que está escrito em Romanos 7.20, que diz: "Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.".

Com essa nova consciência adquirida da unidade com o Espírito de Senhor, vemos claramente que tais fenômenos não fazem parte do nosso verdadeiro Eu, portanto, não há mais nenhuma necessidade de nos identificarmos e nos envolvermos mentalmente com eles, ao contrário, percebemos que nós podemos simplesmente aumentar gradativamente a distância mental entre nós, nossa consciência, e tais fenômenos, até que eles comecem a se dissolver por si mesmos, pois nenhum fenômeno mental, seja ele a raiva, a angústia, a insatisfação, a ira, a insegurança, a ambição, a paixão, a inveja, o ciúmes, a dúvida ou qualquer outro, jamais conseguirá perdurar dentro de nós quando exposto à luz da consciência produzida pela presença do Espírito de Deus no nosso espírito, da mesma forma como qualquer sombra se desfaz quando exposta à luminosidade produzida pelo sol; e uma vez dissolvidos tais fenômenos antigos e sombrios, o que resta é a verdadeira liberdade.

Essa é a liberdade absoluta; quando nos tornamos conscientes da Presença e da unidade do Espírito de Deus em nós, escapamos do alcance da raiva, da ira, do ódio, do orgulho, do desejo, dos sonhos, da mentira, dos pensamentos, dos sentimentos, das emoções, da aversão, da insegurança, do medo, da ostentação, da megalomania, do egoísmo, da arrogância, da tristeza, da angústia, da depressão, da ganância, da ambição, do perfeccionismo, da acumulação, da autodepreciação, da nossa personalidade social, e de tantas outras coisas semelhantes que têm acorrentado e fustigado a muitos ao redor do planeta; sejam indivíduos vistos pela sociedade como bem sucedidos ou aqueles considerados comuns. É por causa dessa liberdade interior absoluta produzida em nós pela consciência gerada pelo Espírito de Deus que também foi escrito em 2 Coríntios 3.17b o texto que diz: "...Onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.".

No momento em que entendemos como essa liberdade consciente pode ser cultivada em nossa mente alcançamos a maior de todas as libertações, pois nos libertamos do nosso próprio "Eu" antigo, nosso Ego, nossa carne, nossa mente natural corrompida pelo pecado original; e uma vez livres dessa influência interna e sombria, a sociedade e o próprio espírito do mundo perdem todos os pontos de "amarra" que antes havia dentro de nós e eram usados para nos acorrentar aos mais diversos, pesos, esquemas, artimanhas e mentalidades distorcidas e ilusórias; ou seja, quando Cristo, através da ação do Espírito, nos liberta de "nós" mesmos, Ele automaticamente nos liberta de tudo o que há no mundo. É aqui que nós passamos a viver no mundo sem que o mundo consiga viver em nós.  

Comentários

  1. Respostas
    1. Oi!
      Obrigado por todos os comentários que você deixou aqui; pois são bênçãos para mim.
      Que a luz do altíssimo ilumine cada vez mais a sua mente e a sua vida.😊

      Excluir
  2. Oi sou Ezequias filho muito bom seus textos são tesouros edificantes e esclarecedores da palavra de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ezequias!
      Agradeço a Deus por poder falar com você.
      Obrigado por deixar o seu comentário aqui.
      Fico contente em saber que os textos têm, de alguma maneira, sido úteis para o seu entendimento.
      Que a sabedoria de Cristo produza clareza, consciência e lucidez de pensamento, e de fé, no seu coração.
      Grande abraço.
      Felicidades pra ti😃💖

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c