Pular para o conteúdo principal

"Saia da casa de teu pai e do meio da tua parentela..." Gênesis 12.1



"Saia da casa de teu pai e do meio da tua parentela e vá para uma terra que eu te mostrarei" Gênesis 12.1

Nossa natureza humana tem alguns hábitos que se não forem identificados e substituídos por outros superiores vão nos impedir de desenvolvermos todo o potencial de um relacionamento pleno e mais frutífero com nosso Deus e uma vida de acordo com o que Ele deseja para nós; um destes hábitos é o hábito de nos acomodarmos com tudo o que está à nossa volta. Muitas pessoas se acomodam com sua forma de orar, se acomodam com sua forma de louvar, com seu modo de pensar e de agir, com a rotina que criaram para cada dia, com o que já aprenderam, com o que já fizeram e assim por diante; em resumo, se acomodam com o jeito com o qual acreditam estar servindo a Deus. Entretanto, Nosso Senhor quer que todos os cristãos passem pela vida evoluindo a cada dia e perseguindo a excelência em absolutamente tudo o que fazem. Obviamente, evolução constante não é algo que possa ser alcançado se a pessoa estiver acomodada com a forma como tem vivido; pois o comodismo traz uma série de malefícios para a vida de quem o possui, além, é claro, de gerar estagnação.

E que malefícios são estes?

A grande verdade é que o comodismo possui uma listagem gigantesca de efeitos negativos, e para que possamos compreender melhor, vou citar sete:

1: Pessoas acomodadas não conseguem enxergar as inúmeras oportunidades que estão ao seu redor, ou quando enxergam sempre é em quantidade muito menor do que o que realmente há. A mente dos acomodados sempre trabalha baseada na escassez.

2: Pessoas acomodadas se tornam mentalmente e espiritualmente mais fracas, passam a viver na defensiva; fazem de tudo para não perder, mas quase não agem de uma maneira que realmente os leve a vencer; passam a ter dificuldades de lidar com inúmeras situações e tendem a evitar arriscar.

3: Pessoas acomodadas tornam-se dependentes de outros e de circunstâncias externas; acreditam em sorte, azar, acaso e destino, e, sem perceber, passam a ser escravas de uma série de coisas do cotidiano, sejam hábitos, sejam vícios, sejam situações, sejam opiniões, sejam pessoas ou mesmo objetos.

4: Pessoas acomodadas são prisioneiras de sua realidade interna, ou seja, suas crenças, seus pensamentos, seus sentimentos e suas emoções, as dominam completamente, porque elas se recusam a empregar esforço para combatê-los, dominá-los e substituí-los. Enquanto isso, todo cristão controla livremente seu coração porque seus sentimentos estão subordinados à vontade de Deus, como está escrito: "Como ribeiros de águas, assim é o coração do rei na mão do SENHOR; a tudo quanto quer o inclina." Provérbios 21.1

5: Pessoas acomodadas reclamam, murmuram e protestam todo o tempo, por tudo, mas nunca tomam a decisão de agir para mudar aquilo que os aflige, preferem entregar o controle de sua vida sempre nas mãos de outros mesmo quando sabem que os outros, sejam familiares, ou parentes, colegas, amigos, chefes; sejam desconhecidos como os líderes, as autoridades e outros superiores, não farão nada por eles.

6: Pessoas acomodadas sempre procuram culpados para atribuir seus próprios insucessos, frustrações e falhas.

7: Pessoas acomodadas enxergam o mundo segundo a ótica distorcida do espírito que há no mundo. Ótica essa que ensina, por exemplo, que a ignorância é uma bênção, assim como outras mentiras que são tomadas como verdade absoluta.

E o que um indivíduo pode fazer para libertar-se completamente do comodismo interior e experimentar uma vida completamente nova, plena, repleta de experiências significativas com Deus, e conquistas?

O conhecido versículo destacado na abertura deste texto nos ensina claramente que postura devemos adotar para vencer a mentalidade mundana do comodismo em qualquer área da nossa vida; espiritual, mental (sentimental e racional) e física. Está escrito assim:

"Saia da casa de teu pai e do meio da tua parentela e vá para uma terra que eu te mostrarei" Gênesis 12.1

E como aplicamos este versículo em nosso dia a dia, no modo como vivemos?

A vida sob medida, para você, começa um passo além de sua zona de conforto seja em qualquer área. Figurativamente esta zona de conforto é como a casa de nossos pais, pois ali geralmente nos sentimos completamente à vontade, longe de desafios, rodeados de proteção, assim como por pessoas e objetos conhecidos que nos geram uma grande sensação de familiaridade e segurança.

E como isso pode ser uma coisa ruim?

Ao mesmo tempo que estamos rodeados por esse conforto excessivo que nos mantém longe de algumas batalhas, este mesmo conforto também nos mantém longe da visão correta de como viver uma vida produtiva e do desenvolvimento que necessitamos para evoluir individualmente para alcançarmos a "estatura" que Deus deseja para nós. Não me entenda mal, ter uma vida confortável é parte da vontade de Deus para todos, mas se tal conforto começar a restringir nossa visão e nos mantiver em um estado de inércia, ignorância ou sedentarismo, teremos de abrir mão dele, ao menos em parte, para que possamos colocar nossa vida novamente no caminho correto. Do contrário passaremos pela vida sem produzir nada ou produzindo muito menos frutos do que deveríamos e poderíamos, tanto para Deus, quanto, para nós mesmos, para nossa família ou para o nosso próximo.

Pode não parecer, principalmente nos dias atuais, quando o espírito do mundo tem incutidos na mente e no coração das pessoas que devem buscar, a todo custo, inclusive com sacrifícios, pelo excesso de conforto, mas conforto em excesso é apenas mais uma vaidade ilusória criada para aprisionar a mente das multidões. 

Usando como base as palavras destacadas de Gênesis 12.1; "sair da casa de nossos pais" pode  também ser interpretado como abandonar aquelas coisas que nos são mais intimamente próximas e seguras, ou seja, que consideramos como território familiar; mas que ao mesmo tempo estão nos impedindo de ir além, na direção que Deus traçou para a vida que temos, assim como nos impedido de pensar por nós mesmo ou caminhar por nossas próprias pernas, seja literal ou figurativamente. E aqui não estou tratando de pessoas, mas sim de questões interiores como pensamentos, crenças, visão, posições ideológicas, mentalidades, entendimentos e toda sorte de coisas como estas. Quantos pensamentos, ideias, sentimentos, crenças etc... nós, herdamos, de nossos familiares ou assumimos de nossos amigos ou das pessoas mais próximas de nós e que estão nos atrapalhando de ver a verdade em determinado ponto de nossa vida? Já pensou nisso? E quantos entendimentos, ensinamentos e filosofias que não são pra nossa vida, temos recebido, e assumido, seja de nossos líderes espirituais, de alguém que julgamos ser a pessoa certa para nos dizer o que fazer, apenas porque eles nos são familiares, ou seja, nos acostumamos com a forma como eles cuidam de nós, nos lideram ou governam, pois é confortável não ter de pensar a respeito de nada e apenas seguir as orientações que nos dão.

Todo cristão genuíno é verdadeiramente livre, e não há como ser livre se nos mantivermos aprisionados a territórios mentais, e mesmo espirituais, familiares, como os pensamentos de outros, fé dos outros, sentimentos de outros, revelações dos outros, visões de outros, orações dos outros, missões dos outros, crenças de outros, que estão mais próximos a nós; porque tudo isso pertence a eles e não a nós. "Sair do meio de nossa parentela" também significa que devemos nos desvencilhar da multidão de influências externas, e íntimas, que nos rodeiam, bombardeiam, controlam e mantem nossa vida apenas naquele território conhecido, nos impedindo de abrir as asas e voar na direção determinada por nosso Criador.

Se você deseja aprender a aplicar a essência de Gênesis 12.1, na sua vida, passe a usar o ensinamento divino registrado em 1 Tessalonicenses 5.21 que diz: "Examinai tudo. Retende o bem". Ou seja, sempre pense por si mesmo e chegue às suas conclusões, não se deixe influenciar tão facilmente pelos que estão ao seu redor, não importa o quão próximos tais pessoas sejam de você, pelo simples fato de que talvez eles não compreendam o caminho que você deve trilhar, suas batalhas são diferentes das deles. Novamente, peço que você não entenda minhas palavras de maneira errada, porque, passar a pensar por si mesmo, desvencilhar-se da multidão, não significa que você não vai mais ouvir nada que lhe digam ou ensinem, pelo contrário, significa apenas que você será mais criterioso(a), mais prudente, mais vigilante em decidir o que aceitará ouvir ou quem seguirá, pois uma coisa é você ser inspirado(a), ensinado(a) e guiado(a) por alguém que verdadeiramente tem a visão correta do que o cristianismo é, mas outra coisa completamente diferente é você ser influenciado(a), ensinado(a) e guiado(a) por pessoas que não fazem a menor ideia do que o cristianismo realmente significa, mesmo que tais pessoas estejam em, ou, liderem congregações.

Como cristão(ã), parte de sua missão é permanecer livre no mais pleno sentido da palavra, ou seja, espiritualmente livre, mentalmente livre, emocionalmente livre e fisicamente livre, pelo simples motivo de que apenas pessoas livres podem libertar os que ainda estão cativos. Faça uma grande e profunda análise interior, pense por si mesmo, use a sua fé, encontre a sua visão, crie as suas crenças, tudo isso baseado em Cristo. Desta forma você vai se afastar do comodismo interior, espiritual, mental e físico, deixará de ser influenciado pelo território familiar, ainda que você permaneça fisicamente nele, aumentará sua visão do que Jesus deseja especificamente para a sua vida, se tornará mais produtivo(a) e frutífero(a) no Senhor, cumprirá a sua missão e alcançará o seu propósito. 

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c