Pular para o conteúdo principal

"...Eis aqui e agora o tempo aceitável, eis aqui e agora o dia da salvação." 2 Coríntios 6.2b

 


"...Eis aqui e agora o tempo aceitável, eis aqui e agora o dia da salvação." 2 Coríntios 6.2b

Você sabia que a maioria absoluta das pessoas vive em um estado mental de completa ausência de suas próprias vidas?

Mas como assim?

Quase todos os indivíduos que vivem na sociedade atual, homens e mulheres, adultos e até crianças, tanto os que estão fora quanto os que frequentam as mais diversas congregações, estão sempre com a mente oscilando, como um pêndulo, entre o passado (algo que viveram, fizeram, sofreram, desejaram, conquistaram, falharam, etc...) e o futuro (o que imaginam, projetam, desejam, ambicionam, fantasiam, sonham; farão, dirão, comprarão, terão, se tornarão, e assim por diante); dessa forma, esquecem de viver, ou ao menos de viver plenamente, no único tempo que realmente nos é dado por Deus todos os dias; o tempo presente, o aqui e agora.

No livro O poder do Agora, o autor Eckhart Tolle escreve algo interessante sobre esse assunto; ele diz: "Estar identificado com a mente é estar preso ao tempo. É a compulsão por vivermos quase exclusivamente através da memória ou da antecipação. Isso cria uma preocupação infinita com o passado e o futuro, e uma relutância em respeitar o momento presente e permitir que ele aconteça. Temos essa compulsão porque o passado nos dá a identidade e o futuro contém uma promessa de salvação e realização. Ambos são ilusão".

O passado e o futuro, tal como fomos condicionados pela sociedade a nos relacionarmos com eles, são apenas as duas faces de uma mesma "alucinação" que dita todos os passos da vida das multidões em meio ao mundo atual; e isso é simplesmente terrível porque as pessoas que "vivem" segundo essa alucinação acreditam na ilusão de que o tempo aceitável para qualquer coisa ou estava no que ocorreu "ontem" ou estará no que vai acontecer "amanhã". Eles ficam presos ao passado e dizem coisas como: "Naquela época é que era bom.", ou ficam presos ao futuro e falam coisas como: "Quando 'isso ou aquilo' acontecer minha vida será melhor.". Você já ouviu alguém falar algo semelhante? 

Essas pessoas não conseguem aceitar muito bem que a vida tenha se desdobrado de uma maneira diferente, e às vezes totalmente diferente, do que costumava ser, e por esse motivo a mente deles faz um esforço quase sobre-humano para tentar, de alguma maneira, permanecer apegada, e identificada, ao tempo que foi e já não é mais, o passado, sem que eles percebam que isso os está prejudicando tanto na vida prática do cotidiano quanto nas questões mentais, e até nas espirituais. Por esse motivo, também, a Escritura Sagrada nos ensina o que está escrito no texto de Eclesiastes 7.10, está escrito: "Nunca digas: porque foram os dias passados melhores do que estes? Porque nunca com sabedoria isso perguntarias."

De fato, o passado é uma das maiores armadilhas mentais; ele é uma prisão sem paredes, da qual os indivíduos têm enorme dificuldade de se desvencilhar, e que os impede de viver plenamente. Qualquer sábio(a) jamais permite que sua mente permaneça por muito tempo no passado, por pior (ou melhor) que ele tenha sido, tampouco permite se apegar ao que ocorreu em um tempo que já não é mais real; por esse motivo, também, é que o sábio apóstolo Paulo escreveu o texto de Filipenses 3.4-7, que diz: "...Se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu: Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu; segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.". Em outras palavras, o que Paulo também está ensinando nesse versículo é que havia muitas coisas em seu passado as quais ele podia estar apegado, mas, ao ser alcançado e transformado pela luz de Cristo, o apóstolo simplesmente escolheu se desvencilhar totalmente das coisas que fez e dos títulos sociais e religiosos que possuía anteriormente; e, embora muitos não saibam, essa é uma enorme libertação.

Nos dias atuais, aqueles que "vivem" com a mente apegada ao passado (bom ou ruim) pelo qual passaram, estão tendo de lidar com uma quantidade cada vez maior de angústia e melancolia (amarguras) que acabam se enraizando neles e contaminando todo o seu interior, perturbando toda a sua existência no tempo presente, afetando, inclusive, as pessoas que estão ao seu redor; e também para nos alertar sobre isso é que foi escrito o texto de Hebreus 12.15, que diz: "Tendo cuidado... para que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos sejam contaminados.".

O passado é como uma sombra que está sempre tentando estender seus tentáculos ilusórios e fantasiosos sobre nós para envolver a nossa mente.

Mas isso não é tudo, porque a mente natural humana adora saltar do passado para o futuro e vice-versa, constantemente, ignorando por completo o tempo em que nós realmente estamos vivos, o presente, o aqui e agora, que é o único tempo em que todas as coisas realmente acontecem, o único tempo em que temos contato verdadeiro com o que é real. O agora é o único momento em que conseguimos viver, na mais plena acepção da palavra, todo o resto, memórias, lembranças, projeções, expectativas, metas, sonhos e todas as coisas semelhantes não são nada além de ilusões, fantasias e delírios que servem muito mais para, de alguma maneira, nos desconectar com a realidade do que para nos ajudar a encontrá-la. Somente no momento presente é que conseguimos amar, perdoar, orar, contemplar, louvar, adorar, tocar, nos alegrar, respirar e muito mais. De fato, embora a nossa mente natural, Ego/carne, faça de tudo para negar, o aqui e agora é o único ponto temporal no qual realmente conseguimos entrar em contato perfeito com as regiões atemporais (celestiais), e por consequência, com o próprio Deus. O aqui e agora é a porta que nos coloca em contato direto com o Espírito do Senhor e permite que Ele nos guie em toda a Sua sabedoria inefável; por esse motivo também foi que Jesus disse o que está registrado no texto de João 10.9, que diz: "Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.".  Note que Jesus diz "Eu sou a porta...", Ele usa o verbo ser no tempo presente, ou seja, no aqui e agora, e isso não é por acaso, pois o Mestre continua dizendo que, quem entrar por Ele, A porta, que é o momento presente, encontrará salvação; e isso corrobora com o texto de 2 Coríntios 6.2b quando diz "...Eis aqui e agora o dia da salvação.". Em outras palavras, a Salvação está aqui e agora, para toda e qualquer pessoa, basta que ela tome consciência disso.

O aqui e agora é atemporal exatamente como Deus, e isso acontece porque é nesse "ponto" acima do tempo físico (espaço-tempo) que Deus habita, na verdade, o aqui e agora é o próprio Deus, por esse motivo também o texto de Êxodo 3.14 revela: "E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou.". Novamente vemos o Altíssimo dizendo Eu Sou, reafirmando que Ele sempre É Aquele que É (aqui e agora). Note que O Criador de todas as coisas não disse "Eu estou", mas sim "Eu sou", e isso foi proposital, pois assim deixa claro que Ele não está no aqui e agora, mas sim que Ele é o aqui e agora. E essa é uma das grandes revelações contidas na afirmação "Eu Sou", infelizmente tal revelação tem escapado do entendimento das pessoas há séculos, mas os cristãos genuínos sempre a têm mantido vívida em seu interior.

Quando deixamos que a nossa mente vague à deriva fora do aqui e agora e habite no passado, no futuro ou em ambos, perdemos o contato com Deus, por exemplo: Quando nossa mente fica perdida revivendo uma injustiça feita contra nós, perdemos a capacidade de perdoar. E quando esse cenário se estende por toda a nossa existência, como tem acontecido com bilhões de pessoas, colocamos a nossa salvação em risco, uma vez que Deus é o aqui e agora e fora do momento presente não há salvação; por esse motivo também o próprio Deus revelou o que está registrado em Isaías 43.11, que diz: "Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador.". Deus é o nosso salvador, na verdade, Ele é a própria salvação que está sempre aqui e agora.

E o que isso significa?

Significa que quando fixamos nossa mente no momento presente conseguimos ouvir, sentir e falar com Deus com muito mais clareza e intensidade do que quando tentamos fazer isso com a mente repleta de "ecos" do passado ou "interferências" e "visões" do futuro disputando nossa atenção, drenando nossas forças e até sequestrando a nossa fé. De fato, esse é um dos principais motivos pelos quais muitas pessoas dizem não conseguir ouvir a voz, nem sentir a Presença, de Deus; infelizmente eles não se deram conta de que há passado, ou futuro, demais (ou ambos) dentro de suas mentes; porém, quando nossa mente se eleva acima do tempo mental e fica "enraizada" no aqui e agora (vazia de passado e futuro), o nosso contato com o Senhor é fortalecido além do que podemos compreender e a nossa coroa da salvação está bem protegida; por isso também foi escrito o texto de Apocalipse 3.11, que diz: "...Guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.". Se não estivermos vigilantes o "passado" e o "futuro" dentro da nossa mente podem, e vão, roubar nossa coroa da salvação.

O aqui e agora nos liberta da constante opressão que a torrente turbulenta e vertiginosa dos nossos próprios pensamentos causa em nós, assim como nos resgata e nos salva da fúria dos nossos próprios sentimentos e emoções naturais, geralmente fora de controle; mas para isso precisamos aprender a sempre habitar o momento presente, porque ele é tudo o que há, ele é a realidade além do véu das ilusões e toda a nossa vida sempre acontece aqui e agora; quando negamos ou negligenciamos isso nos tornamos inconscientes, sucumbimos ao sono hipnótico da sociedade, nos tornamos escravos da hierarquia dos enganos do espírito do mundo, e abrimos inúmeras brechas para as mais diversas tentações, ou seja, damos "carta branca" para que o Ego que há em nós, assim como as mais diversas vozes, forças, agentes sociais, e o próprio espírito do mundo, lancem todas as suas ilusões, fantasias, sonhos, e até delírios, histerias e frenesis sobre nós.

Quando a Escritura revela que o aqui e agora é o tempo aceitável e o dia da salvação (2 Coríntios 6.2b) ela está apontando para o fato de que a passagem para uma existência realmente espiritual repousa escondida, pelo Ego, pela sociedade e pelo espírito do mundo, no lugar mais óbvio e mais ignorado, bem diante da face de todos, no momento presente, que fomos ensinados desde cedo a desvalorizar, subestimar e desconsiderar das mais diversas maneiras, mas quando ficamos conscientes dessa verdade, compreendemos finalmente que é no presente que Deus sempre revela a Sua Presença, e assim, temos verdadeira comunhão com Ele, somos curados, perdoados, iluminados, despertos, libertos, convertidos, transformados, salvos e aperfeiçoados em todos os sentidos.

Mas como viver sempre no momento presente? Quer dizer que não podemos mais pensar no que nos aconteceu ou no que nós queremos, esperamos, ou trabalhamos para que aconteça?

A fé gerada na Escritura Sagrada vem para nos iluminar e mostrar como devemos proceder na nossa vida sobre a face da terra. Viver no momento presente significa que nós podemos sim, e devemos, usar o tempo social (passado e futuro) de maneira adequada, pois isso certamente facilitará e melhorará a nossa existência em meio a sociedade, assim como a nossa produtividade e tantas outras coisas que são importantes para a nossa vida prática do cotidiano e das nossas relações com todos ao nosso redor, pois foi dito em 1 Coríntios 6.12 que "...todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas."; assim, devemos compreender que esse tempo social, ou seja, a reunião de ontem, a discussão de semana passada, a ofensa do mês anterior, a injustiça, o erro, o abuso, o pecado, ou sucesso de dez anos atrás, assim como o desejo pelo próximo fim de semana, as expectativas pelas próximas férias, a fantasia de como a vida será quando você fizer seu primeiro milhão, e tantas outras coisas semelhantes, só para citar alguns exemplos, não são reais, de modo que nunca devemos deixar que o tempo social se torne tempo mental (psicológico), porque se isso ocorrer ficaremos presos e seremos perturbados por suas ilusões, tristeza, frustração, culpa, ressentimento, infelicidade, impaciência, ansiedade e tantas outras coisas semelhantes que vão se expandir e nos dominar por completo.

Os sábios não confundem o tempo físico com o tempo psicológico que é aquele "passado e futuro" estranhos, geralmente distorcidos e fantasiosos, criados na nossa mente, pelo nosso Ego(carne), para nos induzir às mais diversas tentações e erros. De fato, o tempo físico é completamente diferente do "tempo" psicológico e é ao não compreender essa diferença que muitos acabam presos, ou prendem a si mesmos, na perniciosa oscilação mental para "trás" e para "frente" que esconde o aqui e agora, e consequentemente, esconde Deus dos olhos da humanidade, como foi observado pelo poeta e teólogo persa do século XIII, chamado Rumi, que escreveu o seguinte referindo-se a esse tempo psicológico: "O passado e o futuro ocultam Deus da nossa vista. Ponha fogo em ambos.". De fato, a infelicidade que bilhões de pessoas, de todas as ditas classes sociais, e países, estão experimentando tanto na sociedade quanto dentro das mais variadas congregações, é composta em grande parte pela inconsciente e persistente negação do aqui e agora, assim como pela constante resistência da mente humana natural (carne) em abandonar esse passado e futuro psicológico para habitar plenamente no momento presente, que é a nossa verdadeira vida real.     


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c