Pular para o conteúdo principal

"...Não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam e são para a perversão dos ouvintes." 2 Timóteo 2.14

 


"Traze essas coisas à memória, ordenando-lhes diante do Senhor, que não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam e são para a perversão dos ouvintes." 2 Timóteo 2.14

Os sábios nunca discutem, mas para os tolos, o discutir é tão natural quanto respirar.

O mesmo texto de 2 Timóteo 2.14, na bíblia NVI, está escrito da seguinte maneira: "Continue a lembrar essa coisa a todos, advertindo-os solenemente diante de Deus, para que não se envolvam em discussões acerca de palavras; isso não tem proveito, e serve apenas para perverter os ouvintes.".

Já faz algum tempo que abordei esse tema aqui no blog quando escrevi sobre o texto que está escrito em 2 Timóteo 2.24, que diz: "E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos..."; porém, ao ver como as multidões na sociedade e até mesmo dentro das mais variadas congregações têm demonstrado uma paixão crescente por discussões de absolutamente todos os tipos, creio que é valido trazer à memória esse ensinamento tão valioso que nos foi entregue pelo apóstolo Paulo, escrevendo a Timóteo.

Se você quer aprender como identificar quem é tolo e quem é sábio em meio a sociedade na qual estamos inseridos; note que isso é muito simples. Apenas observe quem são as pessoas que estão constantemente discutindo sobre quaisquer temas sociais; esses são os tolos. Por outro lado, observe quem são as pessoas que costumam honrar o silêncio em todas as situações, ou seja, pessoas que não se deixam atrair, seduzir ou arrastar para dentro das mais diversas discussões que são criadas e sustentadas pelas multidões; esses são os sábios. Os que possuem verdadeiro conhecimento do fato de que a vida de qualquer indivíduo não é, nunca foi, e nunca será, aperfeiçoada por meio de discussões. Também por esse motivo o texto de Provérbios 17.27 diz: "O que possui o conhecimento guarda as suas palavras.".

Qualquer pessoa realmente sábia, em outras palavras, qualquer cristão legítimo, entende que discutir é um comportamento que não possui nenhum propósito verdadeiramente louvável e cujo único objetivo é tentar fortalecer as "amarras" mentais do Ego (carne) das pessoas envolvidas nessas discussões, cada qual tentando desesperadamente provar-se superior, de alguma maneira, aos demais, mostrando o quanto as opiniões e visão de mundo das outras pessoas estão terrivelmente erradas.

Tais embates de Egos, cada vez mais inflados em si mesmos, são completamente estéreis, ainda que sejam produzidos e sustentados por catedráticos, e, ou, intelectuais; de fato, o único fruto que essas discussões ideológicas, teológicas, políticas, religiosas, econômicas, e tantas outras, conseguem produzir é apenas a dualidade "maniqueísta" que divide cada vez mais as pessoas em lados violentamente opostos que, como temos visto nos dias atuais, acabam polarizando a si mesmos e pervertendo o entendimento dos envolvidos, quer sejam aqueles que estão diretamente envolvidos nas discussões ou os que estão interessados em ouvir tais discussões sem fim; fazendo com que todos sejam contaminados com inúmeros venenos mentais como o ódio, a ignorância, a intransigência, a intolerância, e tantas outras coisas semelhantes. Por isso, também, é que o texto de 2 Timóteo 2.14 ressalta que tais discussões (contendas de palavras) "...Para nada aproveitam e são para perversão dos ouvintes.".

Repito que a Escritura Sagrada diz claramente em 2 Timóteo 2.24 que: "E ao servo do Senhor não convém contender.". Ainda assim, todo esse comportamento distorcido e vicioso que produz e alimenta diversos tipos de discussões tem encontrado cada vez mais espaço dentro das mais diversas congregações atualmente, infectando líderes e membros para que dediquem boa parte do tempo dos seus dias envolvendo-se nas mais variadas batalhas de palavras, faladas ou escritas, tanto no âmbito físico quanto no virtual, onde as redes sociais aparentemente têm um papel fundamental na potencialização do alcance e do impacto de cada frase dita ou escrita, tornando-as em focos quase inesgotáveis de polêmicas e novas discussões acaloradas, furiosas e animalescas entre as pessoas.

As contendas de palavras têm sido uma das principais estratégias do espírito do mundo para dividir a humanidade e enfraquecer as pessoas, os casais, as famílias, as amizades, as empresas, as congregações, as instituições, os bairros, as cidades, os estados e as nações; e mesmo assim as multidões não estão sendo capazes de ver que estão sendo usados como marionetes inconscientes em uma trama sombria, e subliminar, cujo "campo de batalha" é a própria sociedade; dessa forma permitem e colaboram para que pequenas diferenças e desavenças se tornem obstáculos gigantescos impedindo que os mais variados grupos e tribos sociais caminhem verdadeiramente na direção de um entendimento que os permita coexistir de maneira unida e pacífica, mesmo em suas diferenças.

No verdadeiro cristianismo, aquele que foi ensinado por Jesus e pelos apóstolos, não há espaço para esse tipo de comportamento social que são as contendas de palavras nem para nada que tente justificar tal procedimento utilizando a Escritura Sagrada como muitos tentam fazer; pois a grande verdade é que enquanto o Ego (carne) que há em nós estiver assentado no "trono" da nossa vida, ou seja, enquanto o Ego ditar a maneira como nos comportamos, seremos sempre escravos de viciados, em menor ou maior grau, nesse comportamento que gera, sustenta, se apega e se identifica com as mais diversas discussões sobre todos os temas sociais, desde os mais relevantes até os completamente insignificantes; e nos tornaremos capazes de tudo para defender as posições mentais e sociais do Ego, que adotamos como nossas, até mesmo ofender, ferir e até matar nossos semelhantes, inclusive dizendo que estamos fazendo isso "em nome de Deus". Infelizmente esse é o panorama da maior parte da sociedade atual.

Somente quando Cristo está verdadeiramente assentado no "trono" da nossa vida é que conseguimos ver além de todas as ilusões e fantasias sociais que têm colocado a humanidade contra si mesma; por isso também o próprio Jesus disse que veio para restaurar a visão dos cegos (Lucas 4.19), assim conseguimos perceber o quão inúteis são todas as contendas de palavras que infestam a sociedade e nos libertamos da influência opressiva que elas emanam sobre os indivíduos, assim como, nos livramos da necessidade viciosa de nos engajarmos em qualquer discussão; dessa maneira conseguimos manter sempre um pensamento e um comportamento racional, sereno e pacifico com todos, mesmo quando formos extremamente provocados, insultados, ofendidos e feridos pelos que estão nosso redor.

"A essência dos tolos é a contenda e o caos, mas a essência dos sábios é o silêncio e paz."

Esse é um dos motivos pelos quais os verdadeiros cristãos sempre viveram, e vivem, bem, sob quaisquer circunstâncias, mesmo no meio das maiores tempestades sociais e nas situações mais desfavoráveis e desafiadoras; enquanto os pseudocristãos estão sempre em frenesi, mesmo, e principalmente, nos momentos em que deveriam estar em paz consigo mesmos, com Deus e com todos ao seu redor. Se nos livrarmos das contendas de palavras, descobriremos uma vida muito mais pacífica e proveitosa para nós mesmos e para todos que tiverem qualquer contato conosco.  


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c