Pular para o conteúdo principal

“Os que confiam no Senhor serão como o monte Sião que não se abala, mas permanece para sempre.” Salmo 125.1

 


“Os que confiam no Senhor serão como o monte Sião que não se abala, mas permanece para sempre.” Salmo 125.1

Alguma vez você já passou um tempo prestando atenção em uma montanha?

Montanhas são magníficas e grandiosas obras naturais de Deus que podem nos ensinar valiosas lições de vida se estivermos dispostos e atentos para aprender. Uma dessas lições é justamente o entendimento de como podemos nos tornar mentalmente inabaláveis.

E como isso é possível?

Durante mais de um ano, diariamente, eu separei alguns minutos para contemplar uma montanha próxima de onde moro; eu simplesmente separava um tempinho todos os dias e ficava observando aquela grande obra do Criador, aquela rocha gigantesca coberta por um manto espesso de mata atlântica nativa, que se ergue sobre a cidade como se fosse um antigo titã adormecido. E ao fazer isso comecei a perceber com mais clareza coisas absolutamente óbvias que sempre passaram completamente despercebidas por mim até então.

Que coisas?

Percebi que todos os dias, não importam as circunstâncias, a montanha permanece totalmente serena; dias de sol, escaldante ou ameno; dias nublados; dias de chuva moderada; dias de tempestade com muito vento, relâmpagos e trovões; dias de frio; assim como nas noites claras com lua; nas noites sombrias, sem lua; nas noites de chuva, forte ou fraca; nada disso afeta a montanha; mas ela permanece com sua enorme presença solene e silenciosa como um impávido colosso da natureza. Certa vez houve uma tempestade tão violenta que uma grande fenda se abriu rasgando parte da vegetação da montanha deixando-a com uma enorme "cicatriz", mas mesmo assim, "ferida", ela permaneceu serena em sua grandiosidade silenciosa; e isso me lembrou do próprio Jesus que teve de enfrentar uma grande tormenta, a maior de todas as "tempestades", pois Ele foi muito ferido, mas permaneceu em seu silêncio inabalável; como está escrito em Isaías 53.5a, que diz: "Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades..."; e Isaías 53.7 completa dizendo: "Ele foi oprimido, mas não abriu a boca; como um cordeiro, foi levado ao matadouro e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca.". Eis aqui a primeira grande lição que podemos aprender, sobre ser inabalável, ao observar as montanhas; que é: Pessoas que cultivam um espírito inabalável, como o da montanha e do próprio Cristo, são aquelas que valorizam e praticam a virtude do silêncio, principalmente em meio as mais diversas adversidades da vida.

De fato, fazer esse exercício mental de contemplar (observar atentamente) a montanha me fez perceber o significado real da palavra inabalável, e como qualquer pessoa pode viver dessa forma.

E o que é uma pessoa inabalável?

É alguém que, tal como a montanha, está além da capacidade que as coisas, os indivíduos, as situações, as circunstâncias (boas ou ruins) têm de afetar o nosso interior; ou seja, uma pessoa inabalável não se deixa viver de forma vulnerável às intempéries da sociedade, das outras pessoas, do próprio Ego, da natureza, ou da própria vida, mas consegue se erguer sobre tudo isso de maneira tranquila, equilibrada e serena, mantendo sempre o próprio espírito repousando, em confiança, na paz de Deus. É exatamente sobre estas pessoas que o conhecido texto do Salmo 91.1 está se referindo quando diz: "Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, a sombra do onipotente descansará.". Em outras palavras, esse texto está dizendo que aqueles que possuem um relacionamento verdadeiro com o Amor de Deus terão uma paz de espírito tão sólida e tão profunda que nenhuma turbulência da vida será capaz de afetá-los.

Foi também ensinando, indiretamente, sobre isso, que o apóstolo Paulo, cujo espírito era inabalável como o de uma montanha, registrou em Romanos 8.35 o seguinte: "Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?". Em outras palavras, Paulo estava afirmando que aqueles que compreenderam, ainda que minimamente, a ação do amor de Deus dentro de si, escapam completamente da capacidade que todas as coisas tem de afetar sua mente e coração; tais pessoas desenvolveram a verdadeira paz de espírito (a paz de Deus que excede todo o entendimento, citada em Filipenses 4.7) de maneira tão consciente que nada, nem ninguém, será capaz de movê-los dessa poderosa posição mental, nem as intempéries internas "tribulação e angústias" nem as tempestades externas da vida "perseguições, fome, nudez ou espada (morte)".

Devemos, porém, manter algo muito importante sempre em mente; que é o fato de que uma vez que alguém cultive a paz de espírito, e se torne inabalável, não significa em hipótese alguma que os desafios da vida deixarão de existir, pois a vida é, por natureza, desafiadora, logo, sempre estaremos sendo desafiados, confrontados, atacados de alguma forma, isso nunca cessará; por esse motivo também foi escrito em João 16.33: "...No mundo tereis aflições..."; ou seja, por mais que tenhamos dificuldade de aceitar; as aflições fazem parte da nossa existência no mundo; porém, ao aprendermos a estruturar e sustentar a nossa mente sobre a fé, a confiança, a esperança, a serenidade, a paz de espírito, e o amor, conseguimos permanecer seguros, tranquilos e em equilíbrio mesmo nas maiores crises que surjam na sociedade ao nosso redor.

A maioria das pessoas na sociedade, e mesmo dentro de congregações, se deixam abalar muito facilmente; elas se deixam afetar não apenas por adversidades reais, mas também por dificuldades criadas por si mesmos, tais como possibilidades de um futuro hipotético catastrófico, assim como por atos, palavras, pensamentos, sentimentos e emoções de um passado que já não existe mais. A paz de espírito, a paz de Deus, não é nada além de um conceito espiritual abstrato para essas pessoas, logo, estão sempre vulneráveis a tudo o que os cerca, mesmo as coisas mais insignificantes conseguem atingi-los de maneira consideravelmente forte e roubar-lhes completamente a harmonia interior, o equilíbrio emocional, e, às vezes até a fé.

Pessoas inabaláveis são aquelas que se propõem a cultivar essa paz de espírito de tal modo que essa paz de Deus gradativamente vai conduzindo e elevando a mente deles até um patamar "superior", fazendo com que a mente se desvencilhe por completo do Ego (carne) e passe a habitar acima de todas as turbulências interiores produzidas pelos pensamentos, sentimentos, emoções, ambições, memórias, sonhos; e exteriores, geradas por todas as convenções, padrões, e modelos distorcidos e ilusórios do senso comum e do Status Quo, que governam a sociedade.

Note entretanto que ser inabalável não significa ser frio(a), não se trata de deixar de ter sentimentos, pensamentos, emoções, memórias, objetivos, etc.., pois tais coisas são parte inseparável da nossa condição humana; porém, ser inabalável significa que, conscientemente, não nos permitimos mais ser arrastados ou empurrados aleatoriamente pelos nossos próprios pensamentos, sentimentos, emoções, desejos, memórias, nem nos deixamos mais desequilibrar pelas vaidades e paixões do Ego humano. Nossa condição de "inabalabilidade" se dá na medida em que cultivamos, a cada momento, a prática consciente de não perder nossa estabilidade mental, emocional, sentimental em nenhuma situação ou circunstância do cotidiano, por mais desafiadora, adversa, dolorosa ou aterrorizante que sejam.

De fato, somente as pessoas que cultivam um espírito inabalável, que se mantém em constante paz de espírito, por causa da fé e da confiança que possuem na ação do Amor de Deus, através de Cristo Jesus, conseguem perceber que esse estado inabalável é justamente o nível mais profundo da felicidade, pois que nesse estado as pessoas deixam de lado todos os medos, todos os sofrimentos, toda inquietação, todas as ilusões, todas as reações, todas as opiniões, e tudo o mais que os indivíduos da sociedade insistem tanto em permanecer apegados de maneira tão violenta, sem perceber o mal que estão fazendo a si mesmos e aos outros ao redor.

Um indivíduo inabalável é aquele que, conscientemente, deixa de se sentir ofendido ou pessoalmente afetado pelas palavras, opiniões, ou ações da multidão ao redor que, de alguma maneira, deseje atingi-los ou diminui-los. Imagine novamente uma montanha, ela não se ofende mesmo que todas as pessoas da cidade, ou do planeta, gritem contra ela ou a ameacem; ela não se estressa com o intenso e constante vai e vem de pessoas e veículos, cada vez mais apressados, ao seu redor, nem se entristece quando alguém afirma que prefere estar na praia, no lago, no campo, ou em qualquer outro lugar que não seja a montanha. Ela não se desespera quando é atingida por uma tragédia ou uma catástrofe, tal como um deslizamento de terra, um terremoto, ou um grande incêndio em suas matas; pelo contrário, ela permanece serena e em completa paz, mesmo na dor.

Nesse momento preciso fazer um esclarecimento importante que toda pessoa inabalável compreende plenamente, que é a diferença entre dor e sofrimento.

A dor é algo que absolutamente todo ser humano vai experimentar várias vezes durante a sua existência, seja ela a dor física ou mental, sentimental, emocional; seja um simples machucado, uma doença temporária, uma perda de um ente querido, uma traição, uma ofensa, uma injustiça, o fim de um relacionamento, um projeto que não deu certo, uma demissão, uma falência e etc... Não há como fugir da dor; porém todo cristão legítimo sabe que a dor é apenas dor, nada mais do que isso, e ela por si só não tem nenhuma condição de nos abalar; a menos que nós mesmos a tornemos algo maior do que ela é, criando a partir dela uma avalanche de sofrimento.

O sofrimento é o conjunto de julgamentos e narrativas que fazemos em nossa mente sobre as dores que estamos sentindo; tais julgamentos e narrativas são justamente os espinhos afiados que nossa própria carne (Ego) usa para nos ferir e estender a percepção equivocada de que nossas dores são maiores e mais profundas do que realmente são. Pessoas inabaláveis sabem que a dor não pode ser evitada, mas podemos passar por todas elas em paz desde que não estejamos acumulando, colecionando, carregando, comparando e, por incrível que pareça, até se gabando dos sofrimentos aleatórios que o espírito do mundo usa a sociedade para incutir nas pessoas. A maioria dos indivíduos se deixa abalar muito facilmente porque concentram sua atenção e sua fé mais no sofrimento que criam para si mesmos do que em perceber que podem passar pelas adversidades e dores da vida em plena paz, colocando a fé e a atenção; na serenidade e no amor de Deus para conosco; logo, como não sabem disso, estão sempre sendo abalados, perdidos em ondas e mais ondas de sofrimento frenético e sem sentido. Mas uma vez que despertem para esse entendimento, em pouco tempo estarão se comportando como aqueles que possuem um espírito monumental e inabalável como as montanhas.

  

 


Comentários

  1. assim como contemplou a montanha, contemplo este texto edificante, parabéns por escrever que continue a executar o que o Espirito Santo lhe falar, e logo quero eternizar essa contemplação para uma prática de fé inabalável e que Jesus Cristo me ajude, Deus te abençoe!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elizabete!
      É com alegria que leio o seu comentário. Obrigado por deixá-lo aqui.
      Fico contente em saber que você gostou do texto. Louvo a Deus por isso.
      Que a sabedoria de Cristo frutifique em você gerando uma fé e um espírito inabaláveis.
      Grande abraço.
      Paz.😊💖

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c