Pular para o conteúdo principal

“Aquele que tem o olho mau corre atrás de riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a pobreza.” Provérbios 28.22



“Aquele que tem o olho mau corre atrás de riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a pobreza.” Provérbios 28.22

O que significa ter um "olho mau"? E qual é o efeito prático disso na vida de qualquer um?

Eis uma verdade paradoxal extremamente importante: Enquanto a pessoa achar que riqueza e dinheiro são a mesma coisa, tal indivíduo nunca enriquecerá de verdade e não conseguirá se libertar do jugo de várias mentalidades, mecânicas e armadilhas sociais como o consumismo, a ostentação, a extravagância, a megalomania e muitas outras; pelo contrário, tal pessoa se tornará cada vez mais refém dessas coisas e, portanto, mais pobre, mentalmente, mesmo adquirindo e acumulando grandes quantias financeiras, de fato, ela criará para si, e se apegará violentamente a todo tipo de confusões, angústias e sofrimentos externos e internos, autoimpostos, que os deixará sem rumo na vida e pode levá-los até mesmo à destruição; como bem foi revelado em 1 Timóteo 6.9, que diz: “Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laços, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e na ruína.”. Quantas vezes ouvimos histórias de pessoas, atores, atletas, celebridades, artistas, médicos, e até líderes religiosos que aparentemente tinham tudo o que se pode desejar, fama, dinheiro, status, e mesmo assim acabaram por se autodestruir, às vezes, literalmente?

E porque essas pessoas fizeram isso?

Porque a maneira como elas viam as coisas da vida girava apenas em torno do dinheiro como a única definição, e máxima expressão, de riqueza (o que gerou todo tipo de cobiça), isso fez, com o passar do tempo, com que a mente delas se tornasse um verdadeiro caos, negligenciando tudo o que é mais importante e dando mais valor a tudo o que é supérfluo; e por mais que se tente, ninguém é forte o bastante para viver por muito tempo com a mente iludida dessa maneira, pois essa ilusão produz todo tipo de neuroses que colocam a mente sob enorme pressão, mergulhando-os em um estado de nervosismo constante em relação a quase tudo o que os cerca, de modo que mais cedo ou mais tarde a pessoa começa a sofrer as consequências físicas, mentais, e até espirituais, desse tipo de neurose; exatamente como também foi descrito em 1 Timóteo 6.10, que diz: "Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.".

O amor ao dinheiro é achar que o dinheiro é a única forma de riqueza e faz com que quem vê as coisas assim entre em uma corrida alucinada, ambiciosa e frenética cujo único objetivo é conseguir mais e mais dinheiro, independentemente de quanto já possua, ignorando e negligenciando completamente o estrago que essa busca pode causar tanto na própria pessoa quanto na vida dos que estiverem mais próximos, como a família e os amigos.

Sejamos honestos; grande parte das pessoas que deseja ardentemente o que eles chamam de riqueza (só dinheiro), têm esse desejo por um único motivo.

E qual é esse motivo?

Um anseio (desejo profundo) de impressionar todas as pessoas que estão ao seu redor.

De fato, esse desejo pessoal de impressionar os outros com todo tipo de demonstração de poder aquisitivo (que eles equivocadamente chamam de riqueza) é uma das sementes mais venenosas, e subestimadas, que o espírito do mundo plantou no interior dos seres humanos, por isso também é que a passagem de 1Timóteo 6.10 diz que o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e enquanto os indivíduos estiverem tentando satisfazer essa vontade com o seu estilo de vida e de consumo exagerado, mesmo que se tornem abastados financeiramente; a verdadeira riqueza continuará escapando da compreensão e da vida deles.

E porque isso acontecerá?

Simplesmente porque uma vez que na visão distorcida deles, que Provérbios 28.22 chama de olho mau, riqueza significa unicamente dinheiro e tudo o que ele pode comprar ou alcançar, tais pessoas se tornam incapazes de resistir a todos os impulsos, seduções e influências que essa maneira de enxergar as coisas produz em seu interior, assim sendo, são facilmente atraídos, enganados e manipulados pelas modas, "febres" e tendências sociais de todas as áreas que estão sempre se sobrepondo umas sobre as outras todos os anos.

Mas como saber se eu sou uma pessoa que têm essa visão distorcida?

Muito simples. Qualquer um de nós pode perceber facilmente se temos essa visão distorcida operando em nosso interior, basta observar os pensamentos que surgem em nossa mente relacionados a algum desejo que tenhamos, pois, bem lá no fundo, as pessoas que vivem tentando impressionar os outros estão sempre pensando coisas como:

* Quando meus vizinhos me virem dirigindo meu carro novo;
* Quando meus amigos me virem com esse modelo de telefone;
* Quando eu contar a eles sobre o meu novo emprego ou cargo na empresa;
* Quando as pessoas ficarem sabendo do que eu acabei de comprar;
* Se eu fizer essa viagem as pessoas vão se contorcer de inveja;
* Se eu conseguir essa bênção todos vão pensar que estou rico(a);
* Eles vão se impressionar com o número de seguidores que eu tenho. 

Estes são apenas alguns pensamentos, superficiais e fáceis de observar, que sinalizam que alguém está vivendo para tentar impressionar as outras pessoas, e portanto, tem uma visão de riqueza distorcida que pode levá-los(as) a enfrentar muitas dores internas e dificuldades externas na vida, mas obviamente esses pensamentos citados não são os únicos, na verdade a lista é extremamente longa, e provavelmente todos nós já pensamos de forma semelhante em algum momento de nossa existência; o problema é que certas pessoas são completamente norteadas por esses pensamentos, elas apegaram-se violentamente a essa forma de pensar e não conseguem, ou não querem, se desvencilhar dela por considerar prazeroso o impacto que a sua vida de demonstração de "riquezas" tem sobre a percepção dos seus conhecidos, amigos, familiares, irmãos de congregação e até desconhecidos.

Cristãos genuínos observam seus próprios pensamentos com atenção redobrada e consciência plena, de modo a não deixar que tais pensamentos se agrupem para formar uma ilusão, que nada mais é do que uma maneira distorcida e fantasiosa de ver as coisas da vida, cristãos não se permitem ser guiados por nenhuma visão ilusória de riqueza baseada apenas em dinheiro e bens de consumo. Eles sabem que essa mentalidade é, na verdade, um conjunto de tentações sociais sorrateiras que sempre acabam arrastando as multidões para a falência financeira, à exaustão mental, à fraqueza espiritual, e, por consequência faz com que muitos passem por diversas privações, severas, na vida, mesmo possuíndo tudo o que podem desejar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c