Pular para o conteúdo principal

“A paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus.” Filipenses 4.7 NVI

 


“A paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as vossas mentes em Cristo Jesus.” Filipenses 4.7 NVI

Olhe ao redor por um momento, não fisicamente, mas mentalmente. Pense nas pessoas que estão a sua volta, em casa, no trabalho, na escola, na congregação; pense nas pessoas que você vê quando sai de casa, nas ruas, no transporte público, no trânsito; pense naqueles que passam por você ou com quem você tem contato quando vai a qualquer lugar, no shopping, no supermercado, nas lojas, no banco, nos restaurantes, nos postos de gasolina, nos hotéis e etc... Pense em todas as pessoas que você vê na televisão e na internet, repórteres, apresentadores, influenciadores digitais, pregadores, gurus, artistas ou qualquer outro indivíduo semelhante a esses. Tente pensar em todas essas pessoas por um instante e responda a seguinte pergunta:

Eles possuem paz de espírito? Será que é possível ver, através das palavras e ações destes indivíduos, que há neles uma paz superior às aflições do cotidiano, educando, protegendo, nutrindo, direcionando e estabilizando a mente e o coração deles?

Não será necessário muito tempo nem muito esforço para notarmos que a maioria absoluta das pessoas com quem nossa vida tem qualquer contato, mesmo dentro de congregações, infelizmente não possui paz de espírito. Alguns até acham que têm, mas suas palavras e atos acabam demonstrando o contrário. Porém há outra pergunta extremamente importante que devemos nos fazer; que é:

Será que nós mesmos temos paz de espírito? Ou estamos apenas fingindo ter, como a maioria da humanidade?

Tudo o que tem acontecido na sociedade nos últimos anos, tudo o que ela é atualmente, possui um motivo muito claro de ser notado por qualquer um que esteja minimamente atento. A sociedade tem sido amplamente usada pelo espírito do mundo para devorar impiedosamente qualquer semente de paz de espírito que surja no interior das pessoas; infelizmente e obviamente, esse fenômeno também está ocorrendo livremente, de maneira cada vez mais intensa, dentro das mais diversas congregações.

Mas o que é a paz de espírito?

Ela é justamente a paz que o apóstolo Paulo se refere em Filipenses 4.7 NVI, quando diz: "A paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus.". Ou seja, a paz de espírito é aquela que inunda e envolve nossa mente e nosso coração em um "manto" protetor que nos torna imunes ao frenesi social que é considerado tão comum nos dias atuais e que nos acostumamos a chamar de vida moderna.

E que frenesi é esse?

A agitação, a inquietação, a falação, a ansiedade, a excitação, a pressa, a impaciência, a hiperatividade e tantas outras coisas semelhantes que não estão mais permitindo que a mente e o coração das pessoas tenha sossego, quietude, solitude, contentamento e serenidade. Quando paramos intencionalmente para prestar atenção nas pessoas da sociedade que nos cerca, e em nós mesmos, percebemos que a maioria absoluta dos indivíduos não possui qualquer paz verdadeira em seu interior; pelo contrário, possuem apenas uma fina camada de calma superficial que geralmente está atrelada às situações e circunstâncias momentâneas da vida e que se rompe facilmente por qualquer banalidade; na verdade, em um nível mais profundo, eles estão cada vez mais inquietos, ansiosos, apressados, impacientes, angustiados e frustrados em relação a tudo. Sem a paz de espírito não há tranquilidade para a alma, nem calma para a vida cotidiana, de modo que a saúde mental e física das pessoas começa a se deteriorar. Sim, as pessoas que estão vivendo segundo o ritmo alucinante e incessante da sociedade atual estão literalmente adoecendo, muitos deles, mesmo dentro de congregações.

A sociedade na qual estamos inseridos foi moldada e é constantemente modificada pelo espírito do mundo para fazer com que as pessoa "canibalizem" qualquer vestígio de paz que encontrem dentro de si mesmos, e o pior é que essa influência animalesca penetrou e criou raízes profundas em várias congregações, de modo que, uma multidão de membros e líderes estão sempre repetindo as frases e saudações como: "A Paz do SENHOR.", ou outras semelhantes, mas sem que eles realmente tenham tal paz de espírito dentro de si. Basta conversar com eles ou vê-los pregar e qualquer um que esteja atento logo perceberá que não há paz real no espírito deles, pelo contrário, há uma nítida agitação efervescente que está obscurecendo a luz que deveria brilhar através deles.

E como é possível saber disso?

Porque tal como acontece com os indivíduos na sociedade, a falta da paz de espírito; que é justamente aquela paz a qual Jesus se refere em João 14.27, quando diz: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou..." influencia diretamente, e negativamente, no coração (pensamentos, sentimentos e emoções) e na mente (razão, clareza, lucidez, lógica e a memória) das pessoas, de modo que eles vivem como se estivessem sem controle, sempre apressados, sempre atrasados, sempre nervosos, sempre debaixo de uma torrente de pensamentos acelerados e compulsivos de todos os tipos, sempre terrivelmente distraídos, sempre correndo atrás de algo, sempre em busca de uma felicidade que não fazem ideia de como seja, sempre tentando alcançar o sucesso com base na vida dos outros, sempre tentando obter fortuna, sempre procurando realizar sonhos que nem são deles, sempre correndo em círculos numa velocidade cada vez maior e mais alucinante, sempre cansados.

Sem a paz de espírito para gerar e manter a unidade e o equilíbrio perfeito entre a mente e o coração, toda a vida entrar em colapso e acaba numa espiral de "queda livre" cada vez mais rápida; os pensamentos ficam muito acelerados, compulsivos, opressivos, viciantes, tóxicos, pesados, e, muitas vezes, destrutivos; os sentimentos são anestesiados, perdemos a capacidade de sentir compaixão e empatia pelas outras pessoas, de modo que a indiferença se faz presente nos tornando em seres cada vez mais frios; as emoções ficam totalmente fora de controle, passamos a ser dominados com facilidade, e arrastados para todas as direções, por qualquer rompante de raiva, tristeza, medo, desejo, angústia ou qualquer outra semelhante que surja repentinamente em nosso interior, sem nem nos darmos conta disso. Rapidamente nos tornamos "um" com tais emoções descontroladas e assumimos os padrões de pensamento, palavras e comportamentos que tais emoções ordenam quando estão no controle. Esse são os momentos em que as pessoas ficam nervosas, gritam, discutem, se agridem, choram compulsivamente, xingam, ofendem, ficam paralisadas, sentem vertigens, ou seja, agem e reagem de modo completamente automático, inconsciente, intempestivo e descompensado como se fossem meros animais irracionais.

Todos os dias dessas pessoas são uma grande correria, eles falam que precisam matar um leão diariamente porque alguém, em algum momento, lhes disse que deveriam viver assim; o corpo deles está sempre exausto, a mente está em frangalhos, estilhaçada, o coração deles está cada vez mais indiferente tanto ao mal que estão impondo a si mesmos quanto ao que, inconscientemente, estejam lançando sobre as pessoas ao redor; mas não podem parar, recusam-se a parar, recusam-se a andar pelo caminho pacifico e a abandonar o caminho tortuoso e punitivo que o espírito do mundo lhes disse para trilhar; acham que precisam correr cada vez mais rápido, falar cada vez mais rápido, pensar cada vez mais rápido, viver cada vez mais rápido, pois eles querem vencer todos os adversários tão logo quanto possível, querem alcançar todos os sonhos, metas, ambições e objetivos, que a sociedade disse que deveriam, no mais curto espaço de tempo que puderem; querem conquistar o mundo de um dia para o outro, se for possível, ou pelo menos a maior parte do mundo que puderem.

Jesus disse certa vez: "Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra.". Os mansos aos quais o Mestre se refere são justamente as pessoas que possuem a Paz de espírito em seu interior, pois é ela que produz a serenidade, a quietude, a solitude, o equilíbrio, a tranquilidade, e, os ajuda a cultivar diariamente hábitos mentais e físicos baseados nessas virtudes de modo a construir um estilo de vida mentalmente e fisicamente saudável, revigorante, leve e que os protege de toda a loucura agitada, alucinada, estressante, egocêntrica e animalesca que rege a sociedade física e virtual da atualidade.

A paz de espírito nos mostra que a vida é muito simples, mesmo nos momentos de maior dificuldade; ela nos mantém em equilíbrio completo, corpo, mente e espírito, para que possamos sempre pensar, sentir, falar e agir da maneira mais adequada em qualquer situação e sob quaisquer circunstância; de modo que quando uma pessoa cultivar a paz de espírito logo notará que nesse estado não sobra espaço mental ou emocional para a pressa, a ansiedade, a falação, a agitação, o medo, o sofrimento, a depressão, e tantas outras coisas nocivas que, como espinhos, estão ferindo os indivíduos sem que eles percebam. Tudo o que entra em contato com essa paz superior é desfeito ou purificado e transformado por ela; por exemplo: 

Quando nosso espírito está realmente em paz, mesmo que algo ruim aconteça (podemos ser ofendidos, perder o emprego etc...), toda a negatividade que seria gerada por tal evento será dissolvida dentro de nós por causa do efeito "imunizante" que essa paz produz em nossa mente e coração. Semelhantemente, se estivermos em paz e formos agredidos fisicamente, a reação que tal agressão geraria (raiva, ira, ódio, indignação, frustração, revide etc...)  será imediatamente purificada e transformada em algo muito mais luminoso, compreensão, perdão e pacificação. Se cometermos algum erro, nossa paz de espírito agirá na culpa que tal erro poderia gerar dentro de nós para nos torturar, e produzirá aprendizado valioso para que possamos realmente nos arrepender, e aprender, com todos os nossos erros sem nos martirizarmos ou nos deixarmos consumir por eles. Você entende? A paz de espírito é a paz de Deus, que excede todo o entendimento e guarda (protege) a nossa mente e o nosso coração impedindo que os impulsos e estímulos dessa sociedade alucinada entrem e criem raízes dentro de nós para nos perturbar e desvirtuar a nossa fé e a nossa vida.

Todo aquele que cultiva a paz de espírito, acaba fazendo uma descoberta extraordinária e milagrosa. Tal pessoa percebe que a paz de espírito é o nível mais profundo da felicidade, pois produz contentamento e leveza constante independentemente das circunstâncias ao redor. O sábio pode padecer falta de dinheiro, saúde física, mantimento, pode estar em perigo, ou sob qualquer situação adversa, mas por mais estranho que isso possa parecer, a paz de espírito o manterá sereno e em perfeito equilíbrio até que tais situações sejam resolvidas ou melhorem. Um espírito em paz nos faz ser inabaláveis como uma montanha, mesmo em meio às maiores tempestades da vida, e esse é um dos traços mais marcantes de todo cristão(ã) genuínos.

Comentários

  1. nossa que forte, que lindo, que abençoado! Inspiração oriunda do Espirito Santo! Aleluia!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      É com satisfação que falo com você através desse comentário.
      Fico contente em saber que você gostou do texto.
      Obrigado por deixar suas gentis palavras aqui.
      Que a paz de Deus, que excede todo o entendimento, floreça dentro de você e governe seus pensamentos, sentimentos, emoções, palavras e ações.
      Grande abraço.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c