Pular para o conteúdo principal

Davi e Golias. “A arte de enfrentar gigantes”. -- Análise do livro.



Neste livro o autor, Malcolm Gladwell, começa com uma pitada de contexto histórico e algumas informações geográficas do local onde aconteceu a guerra entre os israelitas e os filisteus; em seguida ele faz uma breve recapitulação do célebre relato bíblico da batalha entre Davi contra Golias e analisa tal acontecimento sob um olhar puramente natural, inclusive atribuindo possíveis debilidades severas ao gigante filisteus, como a possibilidade de ele ter sofrido de um determinado distúrbio biológico que o teria feito crescer acima do normal e lhe gerado outros efeitos colaterais. 

Além disso, o autor também atribui ao jovem Davi uma habilidade, no manuseio da funda, que beira a maestria absoluta de um soldado fundibulário com muita experiência de batalha; algo que o relato bíblico a cerca do jovem pastor, músico e rei não afirma categoricamente. Porém, Gladwell usa bastante informação e contexto histórico em seu livro para introduzir e nos fazer refletir sobre alguns conceitos e pensamentos interessantes e valiosos dos quais destaco os dois principais a seguir:

1°: “Gigantes nem sempre são tão fortes, grandes e amedrontadores quanto o que vemos, ou o que achamos que são quando nos deparamos com eles à primeira vez.”;

2°: “As pessoas não precisam enfrentar os gigantes segundo as regras que eles determinam para as batalhas; nós podemos mudar as regras do combate e surpreendê-los.”

Estes dois pensamentos, assim como alguns outros, são apresentados e desenvolvidos no decorrer do livro através de vários exemplos reais, inclusive alguns famosos, como a luta do reverendo Martin Luther King pelos direitos civis, tais pensamentos, sim, julgo de suma importância que cada um de nós compreenda bem para que possamos olhar diretamente nos olhos de qualquer “gigante” que se apresente em nossa vida, para enfrentá-los com a mentalidade correta para derrotar todos eles.

Este não é um livro cristão como o título pode induzir alguns a pensar que seja, ele não aborda nenhuma questão espiritual, ele também não é tão fácil de ser lido, na verdade, em alguns momentos pode se tornar até mesmo cansativo. Por isso indico este livro apenas para pessoas que já possuam um hábito sólido e bem desenvolvido de leitura. Se você é um iniciante na leitura, ainda está construindo este hábito, ou está em busca de um conteúdo mais voltado para o aprendizado espiritual ou com mais embasamento nas Escrituras Sagradas, não leia este livro agora.

Por outro lado, se você está em busca de aprender algumas lições valiosas através de exemplos que realmente aconteceram, de pessoas que enfrentaram diversos "gigantes" em suas vidas e conseguiram mudar o rumo de batalhas verdadeiramente dramáticas, para vencer contra todas as expectativas, creio que este é um livro que pode agregar bastante valor e até mudar algumas de suas perspectivas.

Se eu tivesse que dar uma nota para este livro; tal nota seria um 6.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista