Pular para o conteúdo principal

"Dando sempre graças por tudo a nosso Deus..." Efésios 5.20




"Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo." Efésios 5.20

Vamos falar sobre a Gratidão.

Quantas vezes na semana ou no mês você ora apenas para agradecer pela grande quantidade de bênçãos que Deus tem concedido e colocado na sua vida? Quantas vezes você simplesmente se permite sentir plenamente grato(a), e portanto, satisfeito(a), pela vida que tem, pelas coisas e dádivas que possui?

Está escrito em Colossenses 4.2: "Perseverai na oração, velando nela com ação de graça."; em outras palavras, a essência deste versículo é: "Orem constantemente, mantendo acesa a vossa gratidão.".

A gratidão, aliás, é a virtude das almas nobres. Já dizia Esopo, um antigo escritor grego a quem se atribui diversas fábulas de cunho moral como "A Cigarra e a Formiga", entre outras.

Muitas pessoas, e possivelmente, até nós, não temos sido adequadamente vigilantes sobre perceber as influências que o espírito do mundo, sorrateiramente, exerce sobre a humanidade, para distraí-los do que é realmente importante e para distorcer a percepção que temos a cerca da vida cotidiana que possuímos. Uma das formas mais efetivas que ele usa para confundir as pessoas dentro e fora de congregações é fazendo com que os indivíduos não reconheçam e não sejam verdadeiramente gratos pelas diversas bênçãos que já estão em suas vidas e que tornam a experiência de existência delas, nessa terra, muito mais confortável e extremamente melhor do que a que qualquer geração anterior a nossa jamais teve.

Como temos acesso tão facilitado a tantas coisas maravilhosas diariamente, tantas dádivas, tantos "milagres modernos", simplesmente nos acomodamos e tomamos tudo por garantido; olhamos para a energia elétrica, sem a qual não sabemos viver; os equipamentos eletrônicos, a água encanada, o gás de cozinha, o saneamento básico, as vacinas, tratamentos médicos; os serviços de internet, os transportes públicos, os hipermercados, os automóveis, aviões, e toda a tecnologia empregada em praticamente todas as áreas da nossa vida, e somos, por padrão, incapazes de sentir qualquer gratidão verdadeira por todas essas bênçãos, e tantas outras, "menores" e "maiores", que, mesmo os homens e as mulheres mais ilustres e poderosos(as) de tempos passados jamais tiveram à sua disposição. 

Pessoas como Alexandre, o grande; Júlio César; Cleópatra; Marco Aurélio; Ramessés I; Nefertiti; Tutancâmon; Nabucodonosor; Leônidas de Esparta; Assuero; A rainha Ester; Saul; Davi; Salomão; A rainha de Sabá; Ricardo I (Coração de Leão); Dom Pedro I; a Imperatriz Leopoldina e tantos outros monarcas através da história, com toda a sua grandeza e fama, não foram tão abençoados quanto a nossa geração em diversos aspectos importantes da vida em sociedade. Também por isso Jesus disse certa vez: "Considerais os lírios, como eles crescem; não trabalham, nem fiam; e digo-vos que nem ainda Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles." Lucas 12.27. Jesus citou o grande Rei Salomão, que foi o mais ilustre dos reis de Israel, como o próprio relata em Eclesiastes 2.9, que diz: "E engrandeci-me e aumentei mais do que todos os que houve antes de mim, em Jerusalém..."; para mostrar que mesmo aquele sábio e poderoso rei que foi tão abençoado por Deus, ainda assim, não tinha sido tão abençoado quanto aquela geração para a qual Jesus estava pregando, mesmo sendo eles tão simples e frágeis quanto os lírios.

Mas como isso é possível? 

Desde a época de Salomão, as coisas naturalmente se desenvolveram, avançaram, e a forma de viver das pessoas na época de Cristo já era bem melhor do que o estilo de vida na época do grande rei sábio. O mesmo acontece conosco nos dias atuais; mesmo não sendo reis ou rainhas, nós somos muito mais abençoados do que qualquer rei, rainha, imperador ou imperatriz famoso(a) e poderoso(a) do passado. Nós somos muito mais abençoados do que imaginamos, e precisamos criar uma consciência mais clara disso para construirmos e solidificarmos nossa gratidão a Deus de uma maneira mais adequada e agradável a Ele. Muitas das coisas que consideramos completamente triviais, irrelevantes e sem importância; são coisas que aqueles regentes e monarcas, assim como todos nos seus reinos e impérios do passado jamais tiveram a possibilidade de experimentar. Portanto, precisamos aprender a valorizar tais coisas; e fazemos isso cultivando verdadeira gratidão a Deus por nos dar a condição de receber tantas e tamanhas beneficências dia após dia.

O espírito do mundo tem distorcido a percepção das pessoas de tal forma que elas só conseguem, ou querem, ver, as coisas que eles não têm, ou o que está errado nas coisas que eles já possuem. Eles pensam e dizem constantemente coisas como:

* O transporte público vive lotado;
* O trânsito dessa cidade é uma porcaria;
* Nada funciona como deveria;
* Esse banco sempre está com uma fila gigantesca;
* Essa cidade faz um calor insuportável;
* Os vôos estão sempre atrasados;
E etc...

E bem verdade que em muitos lugares o transporte público, o trânsito, o fornecimento de água, luz, internet, o saneamento básico e tantas outras coisas não funcionam como deveriam, principalmente em locais menos favorecidos, mas mesmo assim, com todas as falhas que possuem, ainda são bençãos muito maiores do que qualquer pessoa ou monarca de tempos antigos jamais teve acesso. Parece bobagem, mas precisamos praticar manter sempre aceso em nosso coração o entendimento de que, por exemplo: Na Roma dos Césares não havia energia elétrica, mas nós possuímos; a Grécia dos filósofos não tinha gás de cozinha, encanado ou de botijão, mas nós temos acesso a isso; em nenhuma casa no Egito dos faraós, nem mesmo nos palácios, havia um aparelho de ar condicionado, mas na nossa casa há, às vezes mais de um; na época da revolução francesa, não havia nenhuma geladeira na França, mas hoje temos por toda parte; quando Pedro Alvares Cabral chegou ao Brasil, nenhuma casa de Portugal possuía televisão, mas atualmente todas as casas têm; a Inglaterra da revolução industrial não tinha qualquer cobertura para serviços de telefonia móvel, mas nossa cidade tem; quando Dom Pedro regia o Brasil, a tuberculose era uma doença com um índice de letalidade gigantesco, mas hoje, está completamente subjugada. 

A lista de bênçãos as quais temos acesso tão facilmente é gigantesca; não podemos ser tão insensíveis a isso e achar que somos tão especiais que Deus não faz mais do que a Sua obrigação ao nos conceder tantas bênçãos tão generosamente. Precisamos despertar uma gratidão pura, viva e verdadeira a Deus por tudo o que Ele nos concedeu, e ainda tem concedido; coisas que tornam a nossa vida tão mais simples e fácil do que era viver no passado. Cristãos verdadeiros são realmente, e profundamente, gratos a Deus por todas essas bênçãos e muitas outras que são extraordinárias facilitadoras para a vida moderna deles; eles não se cansam de agradecer em suas orações e manter sempre o sentimento de gratidão aceso e ativo no coração e na mente todos os dias. 

É por isso que para os cristãos genuínos, não é um problema assim tão sério, por exemplo, o tomar um ônibus ou trem lotado; passar uma hora no congestionamento com trânsito pesado; esperar na longa fila de um banco; entre outras coisas que são tão insuportáveis e extremamente estressantes para os mundanos; porque na alma dos cristãos a gratidão que sentem por ter acesso a tais coisas e serviços é muito maior do que o incômodo que as falhas que tais serviços possuem e podem provocar. Em outras palavras: Para um cristão(ã), a gratidão por possuir um carro e superior ao incomodo de estar preso no trânsito; a gratidão por poder se locomover pela cidade sem precisar ter um carro, usando o transporte público e maior que o incomodo de ter de enfrentar os ônibus e trens lotados; você entende? 

Essa gratidão, quando cultivada verdadeiramente, blinda o coração e a mente, impedindo que surjam murmurações ou que pequenas raízes de amargura social brotem. Além disso, ela também funciona como um verdadeiro bálsamo que alivia, cura e previne qualquer pessoa dos efeitos nocivos do estresse, da ansiedade, da frustração, da insatisfação e de outras distorções tóxicas que o espírito do mundo injeta impiedosamente nos indivíduos.  

Todo cristão tem plena consciência de que todas as bênçãos modernas as quais temos acesso possuem certas falhas e podem ser melhoradas, mas isso não as invalida como dádivas que merecem nossa ação de graças, ou seja, nossa gratidão a Deus. Eles não perdem de vista o fato de que praticamente tudo o que nos rodeia também torna nossa vida melhor, mais confortável e fácil; diariamente os cristãos expressam de alguma forma, a Deus, a gratidão que possuem por terem tanto à disposição e poderem usufruir de tamanhos benefícios, desde aqueles considerados "menores" como mandar uma mensagem por whatsApp ou um e-mail para alguém; como as consideradas "maiores", como a possibilidade de viajar entre os continentes do planeta em poucas horas. 

Lembre-se, se Dom Pedro I quisesse viajar do Rio de Janeiro até Portugal, precisaria passar vários dias atravessando o Oceano Atlântico; nós podemos fazer isso em cerca de dez horas apenas. Semelhantemente, se o rei Salomão quisesse enviar uma mensagem para alguém na cidade vizinha, um pouco mais afastada, precisaria mandar um mensageiro que levaria cerca de um dia para ir e outro para retornar. Nós somos capazes de enviar quantas mensagens quisermos até para o outro lado do planeta, e receber as respostas, instantaneamente. Isso não é uma bênção? 

Pense um pouco a esse respeito, investigue o seu estilo de vida, as coisas as quais você tem acesso, "conte as suas bênçãos" e, se for o caso, desenvolva um forte senso de gratidão a Deus, nas suas orações, nas suas palavras, nos seus pensamentos e, é claro, nas suas ações. 

Mantenha a sua vigilância, não deixe o espírito do mundo distorcer sua mente e devorar a sua gratidão a Deus. Exercite ser realmente grato(a) ao nosso SENHOR, porque a gratidão torna os indivíduos em pessoas mais nobres e isso as fortalece, deixando-as imunes e inabaláveis as mais diversas artimanhas nocivas da sociedade mundana.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c