Pular para o conteúdo principal

"...Quanto depender de vós, tende paz com todos os homens." Romanos 12.18



“Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens.” Romanos 12.18

O quanto é que depende de nós?

Se eu tivesse de colocar isso em termos percentuais, eu diria que algo entre 80 a 90% das vezes depende exclusivamente de nós ter paz com as outras pessoas, e em apenas 10 a 20% das ocasiões isso não está totalmente em nosso controle. O grande problema é que os mundanos e uma boa quantidade de pessoas dentro das congregações ainda não estão conscientes dessa verdade e sempre deixam que as situações ou os outros decidam se terão interações pacíficas ou turbulentas. Deixe-me ilustrar isso relatando uma experiência que tive alguns anos atrás.

Certa vez fui a um banco próximo da minha casa, eu iria apenas fazer uma consulta simples no caixa eletrônico; havia um segurança na porta de entrada da agência organizando as pessoas para que pudessem entrar de forma ordenada. As duas pessoas que estavam na minha frente entraram sem qualquer problema, mas na minha vez fui impedido pelo segurança que estendeu o braço obstruindo a minha passagem. Ele disse:
_ Você não vai entrar.
Inicialmente eu não entendi o que estava acontecendo ali, e de forma ingênua, respondi:
_ Eu vou apenas ao caixa eletrônico.
Nesse ínterim o segurança permitiu que mais duas pessoas que estavam atrás de mim entrassem na agência, em seguida voltou a se dirigir a mim dizendo:
_Você não entendeu. Eu disse que VOCÊ NÃO VAI ENTRAR!

Ele fez sinal para que eu saísse do local onde estava para que as outras pessoas pudessem ter acesso à agência. Por um segundo, ou menos, eu fiquei completamente confuso, sem saber o motivo pelo qual aquele homem impediu que eu entrasse na agência de forma tão arbitrária e até grosseira, enquanto não fazia qualquer oposição às outras pessoas. Quando eu finalmente percebi que aquilo não se tratava de uma brincadeira, quando tive noção de que ele não me deixaria entrar no banco, simplesmente agradeci a ele e fui embora dali; não argumentei, não discuti, não gritei, não fui grosso com ele, eu simplesmente agradeci e sai. Eu tinha escolhido ir àquele banco porque fica próximo da minha casa e me pouparia um tempo precioso, mas não tive escolha a não ser tomar um ônibus e ir até uma agência na cidade vizinha, e isso consumiu um tempo muito maior do que o que eu tinha planejado inicialmente. 

Enquanto andava na direção do ponto de ônibus eu considerava minhas opções diante daquela situação; eu poderia ter discutido com aquele homem, poderia ter começado uma grande confusão, poderia ter dito que aquilo era algum tipo de discriminação, poderia tentar processar o segurança ou mesmo a agência, poderia ter tentado entrar à força, ou poderia ter tomado qualquer outra atitude tola como estas, como já vi outras pessoas fazendo várias vezes não só em agências bancárias, mas também em ônibus, lojas, em plena rua e em diversos outros ambientes; porém, qualquer uma destas ações roubaria a minha paz e arruinaria meu dia, geraria grande ruído mental e desconforto emocional em mim e, dependendo do que acontecesse ali, poderia ser muito ruim para aquele homem também; então, graças a Deus, escolhi fazer o que Romanos 12.18 nos ensina e manter-me em paz tanto internamente quanto com aquele homem, não discuti, não forcei a passagem, não debati, não briguei, não tentei impor meu direito de entrar naquela agência, não chamei a polícia, não fiz nada disso, mesmo ele tendo agido de maneira tão hostil comigo.

Mas por que estou compartilhando isso com você?

Porque você deve saber tão bem quanto eu que, na sociedade na qual vivemos, e às vezes, até na congregação que frequentamos, as outras pessoas vão nos afrontar absolutamente sem qualquer motivo; algumas situações como essas já aconteceram comigo e certamente você também já passou por algo semelhante, ou até pior; ou pelo menos já presenciou algo assim acontecendo com alguém; porém, o ponto para o qual desejo chamar a sua atenção com este texto é que quando situações como estas, ou piores, acontecem com cristãos verdadeiros, eles não se afligem e procuram rapidamente por uma solução pacífica para o que quer que tenha ocorrido, mesmo que isso signifique ter de fazer algum esforço extra ou até levar algum prejuízo, por isso também foi escrito em 1 Coríntios 6.7B: "...Por que não sofreis, antes, a injustiça? Por que não sofreis, antes, o dano?". Este poderoso ensinamento de Paulo pode e deve ser usando tanto em situações dentro da congregação como no que diz respeito a situações que aconteçam quando estamos lidando com pessoas do mundo, a maioria delas; todo cristão verdadeiro sabe que certas batalhas são tão pequenas e banais que não merecem ser lutadas e ao sofrer estas injustiças e estes danos, não estão perdendo nada de relevante, mas sim estão preservando a própria vida de sentir uma grande quantidade de estresse ou sentimentos piores.

No meu caso naquela situação especifica, sofrer a injustiça foi me calar, não tentar discutir ou brigar com aquele segurança; e sofrer o dano foi eu ter de gastar um tempo maior me deslocando para outra cidade para fazer algo que poderia ter sido feito rapidamente perto da minha casa, mas como você bem pode perceber, nenhuma destas duas coisas são assim tão ruins a ponto de justificar uma reação destemperada de minha parte para fazer valer o meu direito de entrar naquela agência. Eu fui para a outra cidade e, tanto o meu dia quanto o daquele homem que me impediu de entrar, permaneceram em paz, pelo menos no que se refere à minha interação com ele. E eu agi dessa forma porque aprendi que os cristãos verdadeiros possuem um temperamento sereno, inabalável, e um pensamento virtuosamente pacífico norteando suas ações.

E que pensamento é esse?

O pensamento de manter-se em paz com o próximo, mesmo que o outro esteja, de alguma maneira, tentando incitá-los ao confronto. Quantas vezes você já viu ou ouviu falar de pessoas que foram impedidas de entrar em um banco, homens, mulheres, jovens ou idosos, presos naquelas portas giratórias, e às vezes até sendo humilhados tendo de tirar a própria roupa, enquanto os seguranças e funcionários da agência fazem pouco caso da situação; quantas vezes já vimos ou ficamos sabendo de discussões fervorosas e até agressões físicas iniciadas por motivos banais como a briga por um lugar na fila do caixa do supermercado, vaga de estacionamento, reuniões de condomínio, um serviço mal prestado, um xingamento lançado sobre alguém, uma manobra proibida ou temerária no trânsito e etc...

Em todas essas situações, assim como em tantas outras mais graves, os cristãos simplesmente exercitam sua mansidão para permanecer internamente em paz e, por consequência, impedir que aquela situação se degrade, agrave e saia do controle, pois sabem que isso não beneficiará ninguém além do espírito do mundo que é justamente o semeador destes atritos sociais cotidianos entre as pessoas para roubar a paz entre os homens e produzir raiva, ira, ódio, rancor, vingança, e até tragédias.

Romanos 12.18 nos ensina que quando estiver em nosso controle devemos evitar morder as iscas destes atritos que os mundanos e mesmo alguns membros ou até líderes de congregações lançam sobre nós, mesmo que estejamos com a razão, pois simplesmente não compensa entrarmos nesse jogo e nos deixarmos "estourar" e agir impensadamente com aqueles que estão tentando roubar a nossa paz; não compensa para nós e não compensa para eles, porém eles não sabem disso e em todas as coisas agem segundo as influências que recebem do espírito do mundo, que não deseja nada além de perturbá-los e fazer com que eles perturbem os outros ao redor.

Está escrito: "Bem aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus." Mateus 5.9

Nosso dever nessas ocasiões, como cristãos, filhos do Deus Altíssimo, é quebrar esse ciclo, porque ao pacificarmos uma situação de atrito que alguém esteja tentando armar sobre nós, e que pode até ser potencialmente explosiva, dependendo do que seja, estaremos não só mantendo o nosso equilíbrio e harmonia interna como também impedindo que a outra pessoa também seja arrebatada por uma legião de pensamentos, sentimentos e emoções sem controle que podem desestabilizá-la e até levá-la a cometer algum ato impensado que arruíne o dia ou mesmo a vida dela.

Em Mateus 5.39 está escrito a conhecida passagem em que Jesus fala: "Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra.".

Todas as vezes que nos negamos a discutir com os outros porque fomos impedidos de entrar em algum local, ou por causa da demora no atendimento, ou porque o serviço prestado foi péssimo, ou por questões banais de trânsito, ou quando nos insultam, ou porque nos enganaram deliberadamente, ou por qualquer outra coisa semelhante a essas, estamos, em primeiro lugar, cumprindo o que está escrito em 2 Timóteo 2.24, que diz: "...Ao servo do Senhor não convém contender.", e além disso, estamos preservando, ainda que minimamente, a vida daqueles que estão tentando entrar em atrito injustamente conosco, pois nós, cristãos, somos suficientemente fortes em Cristo para suportarmos injustiças sem perder o equilíbrio, diferentemente dos mundanos e pseudo-cristãos que são abalados profundamente e facilmente por qualquer pequena injustiça lançada sobre eles na forma de atritos sociais cotidianos e que podem arruinar o dia deles e arrastá-los para uma espiral descendente que pode jogá-los em um dos vários abismos mentais nos quais as pessoas estão caindo atualmente. E como você deve saber, está escrito: "Um abismo chama outro abismo..." Salmo 42.7A

Assim como Cristo demonstrou seu amor por nós suportando nossas injustiças na época da nossa ignorância espiritual, assim também nós devemos suportar essas injustiças, atritos sociais do cotidiano, para demonstrarmos o amor Dele em nós para com os que estão ao nosso redor; mesmo que, e principalmente, se eles forem os causadores destes injustos atritos sociais; pois foi dito: "...Se amardes os que vos amam, que galardão tereis?" Mateus 5.46

Tenha sempre em mente o seguinte entendimento:

*Se você não se incomodar com o que fazem contra você, automaticamente, todas as outras pessoas perderão o poder de incomodar você;
*Se você deixar de se ofender com o que dizem a você, ninguém jamais conseguirá ofendê-lo(a) novamente na vida;
*Se você não se abalar mais com o que ocorre ao seu redor, o mundo terá perdido a capacidade de abalar você;
*Se você não perder a sua paz, nunca mais nenhuma circunstância ou situação conseguirá tirá-la de você.

Você compreende quanto poder pessoal esse entendimento revela? Você percebe quanta liberdade está contida nele? Pois é exatamente isso o que Romanos 12.18 está ensinando.

Note que nunca é a situação ou as circunstâncias que nos afetam, mas somos nós que nos afetamos com elas; da mesma forma, nunca são as pessoas ou o que elas dizem e fazem conosco o que nos abala, mas somos nós que nos deixamos abalar pelos outros. Uma vez que compreendemos claramente esse entendimento nossa mente e nosso coração se tornarão livres e blindados, porque perceberemos que na grande maioria das vezes só dependerá de nós mesmos manter o controle, não morder as iscas e preservarmos a paz entre nós e aqueles que estão nos afrontando, porque eles não conseguirão entrar em atrito conosco se não permitirmos; o poder estará sempre nas nossas mãos; de fato, o poder está sempre nas mãos dos sábios e a sabedoria ensina que se formos conscientemente e intencionalmente mansos nestas ocasiões do cotidiano, nenhuma força na terra poderá nos abalar e jamais perderemos a nossa paz, como foi dito em: “Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz.” Salmo 37.11; logo, teremos plenas condições de semear essa paz em qualquer situação ou circunstância, mesmo nos momentos cotidianos em que os "homens" (as pessoas) tentarem lançar seus atritos sociais sobre nós.   


Comentários

  1. Que pregação foi essa. Maravilhosa, incrível. Deus é incrível. Obrigada. Deus abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kláudia!
      Obrigado por sua visita ao blog e pelos seus comentários.
      Fico contente em saber que você gostou do texto.
      Que o SENHOR, nosso Deus, multiplique sobre você a Paz, a saúde, a sabedoria e o sucesso.
      Abraço.

      Excluir
    2. Gloria Deus ,como a irmã klaudia falou,sem mais palavras,maravilhoso.

      Excluir
    3. Ola!
      Obrigado por seu comentário.
      Que a luz de Cristo brilhe sempre poderosamente através de você.
      Grande abraço.

      Excluir
    4. Uauuuu vivi uma certa situação ontem, e hoje de manhã o espírito santo falou em meu coração sobre esta palavra, se possível for tenha paz com todos..eu fiquei cm este versículo no coração e fui abrir a bíblia no Google , e logo entrou este devocional, q triste pra mim eu acabei revidando aos falatórios, temo q vigia até no dia mal, e eu caí, estou chateada e arrependimento , obrigada por este estudo, vou procurar ficar mais em silêncio.

      Excluir
    5. Oi!
      Bem-vinda ao blog.
      Obrigado por deixar o seu comentário aqui.
      Agradeço a Deus por poder falar com você e fico contente em saber que o texto foi útil para o seu entendimento.
      Não fique chateada por ter reagido de forma natural na situação que se apresentou à sua frente, pois isso é o que todos nós fomo treinados para fazer. Só o fato de você ter percebido que poderia ter agido de outra maneira já é um avanço.
      Apenas seja gentil consigo mesma e tente se manter consciente de que muitas vezes você será provocada pelas pessoas, das mais diversas maneiras. O simples fato de você ter consciência disso aumentará o seu autocontrole e retardará as reações naturais da mente; com o tempo e um pouco de prática, você se tornará inabalável.
      Grande abraço.
      Seja feliz.😊💖

      Excluir
  2. Muito lindo essa explanação ,q Deus lhe abençõe sempre, lhe dando sabedoria ,para trazer essas pérolas do saber aos nossos corações ,parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      É com satisfação que leio o seu comentário. Obrigado por deixá-lo aqui.
      Que o seu coração seja cada vez mais fortalecido na paz e nas outras poderosas virtudes de Cristo.
      Abraço.

      Excluir
  3. Amém! Deus falando aos nossos corações obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tatiana!
      Fico contente em saber que você gostou desse texto.
      Obrigado por deixai seu comentário aqui.
      Que a divina Paz de Cristo emane através de você em todas as situações.
      Grande abraço.

      Excluir
  4. Gente preciso viver essas verdades pois em todo tempo existe um ladrão de alegria,tentando roubar nossa alegria e nossa paz,temos que buscar o Espírito Santo para nós ajudar a discernir pois ñ é fácil,mas vimos que ñ é impossível. 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Claudia!
      Obrigado por deixar seu comentário aqui.
      Que a Paz do Espírito seja sempre emanada através de você para abençoar a todos ao seu redor.
      Grande abraço.

      Excluir
  5. So por questão de curiosidade, a palavra do versículo é "quanto" e não "quando"..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Obrigado por sua correção.
      Deus abençoe você.
      Grande abraço.

      Excluir
  6. Bom dia!!! A paz do senhor Jesus Cristo !! Bela pregação. Sempre penso dessa forma , não vale a pena, devemos pensar que nada pode tirar a nossa paz e o equilíbrio, seja qual for a situação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Seu comentário é uma bênção de Deus para mim. Obrigado por deixá-lo aqui.
      Fico contente em saber que você gostou do texto.
      Que a magnífica paz de Cristo seja abundante em você de tal forma que inspire a todos ao seu redor.
      Grande abraço.

      Excluir
  7. Como é difícil agir assim... e quando tentamos, ainda somos criticados por aqueles que estão ao nosso lado por não tomarmos uma atitude...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Obrigado por comentar aqui.
      Sei bem como são essas críticas. Muitas pessoas criticam esse tipo de comportamento mais pacífico porque, inconscientemente, se sentem ofendidas em situações semelhantes; mas o que elas não percebem é que nós simplismente não precisamos nos ofender com a maioria absoluta das coisas que os outros nos fazem, essa simples mudança de entendimento nos permite viver, pensar, falar e agir de uma maneira muito mais saudável, tranquila e leve.
      Que a Mansidão de Cristo seja abundante no seu espírito, na sua alma e na sua mente.
      Grande abraço.👍😊

      Excluir
  8. Boa noite , nunca busquei nada sobre religião assim de vdd na minha vida, mas hoje busquei algo sobre paz e achei esse blog e Li essas palavras e condizia com oque tava acontecendo e até mesmo coisas que aconteceu na minha vida isso me ajudou muito a entender sobre nosso comportamentos, e pessoas que até da nossa família Querem tirar nossa paz que é tão impor tante para nós mesmo , obrigado de coração me sinto um cristão agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jonas!
      Fico feliz de poder falar com você através do seu comentário; aliás, obrigado por deixá-lo aqui.
      É bom saber que o texto foi útil a você de alguma maneira. Agradeço a Deus por isso.
      Nossa paz de espírito não está ligada ao que as outras pessoas falam ou fazem contra nós, a paz que há em nós é superior a tudo isso, infelizmente a maioria das pessoas não têm consciência disso; mas quando compreendemos essa verdade, nos tornamos inabaláveis.
      Que Deus dê paz, saúde, sabedoria e sucesso a você.
      Grande abraço.
      Seja sempre feliz.😊💖

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c