Pular para o conteúdo principal

"Em tudo dai graças..." 1 Tessalonicenses 5.18



“Em tudo dai graças, porque essa é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” 1 Tessalonicenses 5.18

Você gostaria de saber como se fortalecer interiormente e exteriormente a ponto de ser capaz de superar qualquer adversidade da vida? Se sua resposta for sim creio que este texto poderá ser útil a você como tem sido para mim.

Uma das grandes certezas da vida de qualquer pessoa é o fato de que ela passará por vários momentos de adversidade, que a bíblia também chama de aflições; como está escrito em: “...No mundo tereis aflições...” João 16.33B. Alguns destes momentos de aflição serão mais desafiadores e outros menos, mas todos vão tentar abalar, de alguma maneira, nosso equilíbrio mental, emocional e espiritual. Foi por esse motivo que Jesus disse: “...Mas tende bom ânimo...” João 16.33C; em outras palavras, manter o ânimo elevado, positivo, saudável em momentos de adversidade é algo que demonstra controle e equilíbrio mental (racional) e emocional por parte da pessoa que está passando por tais situações; mas infelizmente, esse tipo de comportamento não é praticado pela maioria dos indivíduos, principalmente no mundo, mas também dentre muitos daqueles que estão dentro de congregações.

Da mesma forma, as mais diversas adversidades do mundo, das menores às maiores, surgirão na vida de qualquer pessoa para tentar roubar a paz e devorar, ou pelo menos, desviar e corromper, a fé e a vida delas; e são nesses momentos que demonstrar controle e equilíbrio espiritual fará toda a diferença; sempre sustentando-se nas palavras de Cristo, que disse, por exemplo: "...Eu venci o mundo." João 16.33D. Em outras palavras, esta afirmação de Jesus nos diz que as aflições criadas pelo espírito do mundo e lançadas sobre toda a humanidade, como disse Salomão certa vez em: "Tudo sucede igualmente a todos..." Eclesiastes 9.2A, não são capazes de vencer os cristãos, desde que estes saibam como pensar, falar e agir, permanecendo firmados sobre os entendimentos práticos gerados pela Divina Palavra, que é o Próprio SENHOR, que não pode ser vencido por nada nem por ninguém.

E o que estou querendo dizer com tudo isso?

O que desejo compartilhar com você, leitor(a), aqui é que o conhecimento antecipado de que o mundo, as circunstâncias, a sociedade, as outras pessoas, e até mesmo as congregações e nós mesmos, às vezes, faremos oposição e criaremos dificuldades para nossa própria vida, gerando determinadas aflições; nos faz ter a serenidade e a clareza necessárias para manter e solidificar, cada vez mais, nossa paz interior; como foi dito em: "Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz..." João 16.33A. Jesus falou para os discípulos antecipadamente que eles passariam por muitas aflições, porque sabendo dessa informação com antecedência, seria possível para eles estarem mentalmente e espiritualmente fortalecidos, preparados para passar por tais adversidades sem perder a paz interior. E essa paz é o que, por sua vez, nos faz perceber algo extremamente transformador.

E o que seria?

A compreensão de que em qualquer momento de aflição que o mundo possa lançar sobre nossa vida, desde os menores aos maiores; nós podemos usar a clareza gerada pela fé para fortalecer nosso equilíbrio interno e externo, emocional, sentimental, espiritual; pessoal, profissional, financeiro e etc... de forma que grande parte das aflições do mundo automaticamente perderão qualquer capacidade de nos influenciar, atingir, estressar, deprimir ou desesperar. Como tem acontecido com tantas pessoas na sociedade moderna.

E como desenvolver essa compreensão de forma prática em nossa vida?

Muito simples. Praticando constantemente a essência do que está registrado em 1 Tessalonicenses 5.18; que diz: "Em tudo dai graças..." 1; em outras palavras, o que este versículo quer ensinar é: Em qualquer situação e sob quaisquer circunstâncias encontrem algo na vida pelo que agradecer. Ou seja, todo cristão genuíno sabe que, seja qual for a situação, seja qual for a aflição pela qual esteja passando, por mais desafiadora que seja, por mais ameaçadora que pareça; ainda assim, sob todas essas circunstâncias adversas eles são capazes de encontrar pontos na vida, interna ou externamente, no cotidiano, nas lembranças e memórias, em seus dons e talentos, na família, em suas experiências, em sua profissão e etc... pelos quais podem ser verdadeiramente gratos a Deus, e, se apegando firmemente a essas raízes de gratidão conseguem permanecer mentalmente fortes para superar os momentos de adversidade; como as árvore que se agarram em suas raízes profundas no solo quando são açoitada por fortes ventos, e conseguem passar pelas tempestades, furações e até tornados.

É importante notar que não é pela adversidade, em si, que os cristãos agradecem, mas sim por algo específico na vida deles, algo que Deus lhes deu e, ou, conservou neles ou ao redor, e que podem, inclusive, usar para navegar de maneira mais equilibrada e pacífica mesmo nos momentos de maior dificuldade, cruzando as "tempestades", vencendo os "furações" e superando os "tornados". Os cristãos verdadeiros enxergam todas as circunstâncias da vida sob uma perspectiva completamente diferente das demais pessoas; e principalmente os momentos de aflição são sempre encarados com a perspectiva da fé, que os permite manter o equilíbrio e a paz interior e exterior, através de serem gratos por tudo de bom, de verdadeiro, de puro, de honesto, de justo e de amável que a vida deles possui, pois dessa forma conseguem pensar, falar e agir, de maneira a não serem consumidos pelas adversidades e ainda são capazes, se preciso for, de ajudar outras pessoas a suportar e superar tais momentos.

Veja o exemplo do apóstolo Paulo; que mesmo nos momentos de maior aflição pelos quais passou, e foram muitos! Entre prisões, naufrágios, açoites, perseguições e muitos outros, como ele mesmo relatou em: "Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um; três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo..." 2 Coríntios 11.24-25; mas ele permanecia com o espírito, o coração (os pensamentos, sentimentos e emoções) e a mente (a razão) sob controle, em perfeita paz e equilíbrio; de modo que mesmo em meio a todas aquelas tribulações ele era plenamente capaz de ser grato a Deus, todos os dias, por exemplo, pelo amor que sentia pelos irmãos das mais diversas igrejas; assim como, pela amizade, ajuda, e cuidados que muitos irmãos também demonstravam amorosamente para com ele, e é claro, Paulo também era grato a Deus por tê-lo alcançado e confiado tamanha missão em suas mãos; isso entre muitas outras coisas. 

O foco da visão de Paulo não estava nas tribulações pelas quais passava, por mais violentas e dolorosas que fossem, pois ele sabia que todas eram passageiras; mas sim, toda a atenção dele estava colocada na Graça de Deus e em todas as pessoas, dádivas, recursos (mesmo quando escassos) e bênçãos que, em meio às aflições, estavam ao lado dele e também serviam para o ajudar, sustentar e fortalecer. Estas eram as coisas que Paulo procurava manter sempre em sua mente e coração, como certa vez ensinou em: "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." Filipenses 4.8. Porque uma vez que qualquer pessoa mantenha seus pensamentos nestas chaves citadas por Paulo, e genuinamente dê graças a Deus por elas, em qualquer situação, automaticamente conseguirá ficar em paz e equilíbrio, e nenhuma aflição terá poder para obscurecer seu coração, nem de penetrar em sua mente ou derrotar seu espírito.


Para finalizar este texto vou falar rapidamente sobre um exemplo fascinante que sempre me inspira muito. O evangelista cristão Nick Vujicic não possui braços nem pernas, e durante algum tempo ele sofreu muito com essa situação que, no caso dele é permanente; imagine a aflição interior e exterior que ele enfrentou durante anos, imagine os pensamentos, sentimentos e emoções sem controle bombardeando o coração dele, imagine o caos se multiplicando na mente dele, principalmente quando ainda era uma criança e adolescente, imagine o medo do futuro, imagine o desespero gritando nos ouvidos dele todos os dias, imagine os enorme desafios que a vida apresentou para ele nas tarefas mais simples do cotidiano. Imagine se você tivesse nascido assim. 

Mas, tudo mudou quando ele compreendeu que na fé em Cristo Jesus há um caminho seguro, que o fortaleceria de modo que pudesse superar completamente todas aquelas aflições e o transportaria para um estado, interior e exterior, de paz e equilíbrio. Um caminho utilizado através dos séculos por todos os cristãos verdadeiros; exatamente o mesmo caminho que Paulo também trilhava e ao qual se referiu quando disse: "Em tudo dai graças..." 1 Tessalonicenses 5.18. O caminho de, em meio as aflições, durante nossas batalhas, concentrarmos nossa fé e atenção em agradecer a Deus pelas coisas boas que Ele nos concedeu e concede, fez e faz por nós, assim como pelas pessoas que Ele colocou ao nosso redor todos os dias, tanto as que nos ajudam quanto as que são ajudadas por nós; nossa família, nossos amigos verdadeiros, nossos preciosos irmãos em Cristo; assim como o amor que carregamos em nosso coração, as oportunidades que temos, nossa missão de vida e etc... O fato é que sempre haverá várias dádivas pelas quais poderemos dar graças em meio a qualquer situação adversa; tudo o que precisamos fazer é aprender a identificar tais coisas, e muitas delas estão bem diante de nós todos os dias, mas por vezes, algumas podem ser sutis, porém, extremamente preciosas.


Portanto, assim como o apóstolo Paulo, no passado, e o evangelista Nick, atualmente, nós também, se pararmos alguns momentos para refletir, diligentemente, seremos capazes de identificar de maneira clara em nossa vida muitas pessoas e coisas fortalecedoras (pensamentos, sentimentos, emoções, relacionamentos, posses, visão, missão e etc...) colocados em nós e em nosso redor pelo próprio Deus e pelas quais podemos dar graças ao Criador todos os dias mesmo se estivermos em momentos de grande adversidade. E agindo assim, estaremos nos fortalecendo, em Deus, cada vez mais, como o próprio Paulo ensinou que todo cristão deve fazer, quando disse: "No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder." Efésios 6.10. E como resultado deste processo de fortalecimento através da gratidão, as aflições simplesmente se tornarão cada vez menores até que simplesmente não serão mais capazes de tirar nossa paz nem de abalar nosso espírito. “...essa é a vontade de Deus em cristo Jesus para convosco.” 1 Tessalonicenses 5.18.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c