Pular para o conteúdo principal

“Melhor é morar num canto de umas águas furtadas do que com uma mulher rixosa...” Provérbios 25.24



“Melhor é morar num canto de umas águas furtadas do que com uma mulher rixosa numa casa ampla.” Provérbios 25.24

Se você está em busca de uma pessoa com quem casar, então esse texto poder ser muito útil para lhe ajudar a entender quem essa pessoa deve ser.

Durante o tempo de vida que qualquer um de nós tiver sobre a face da terra, poucas serão as escolhas e decisões que realmente terão a capacidade de alterar drasticamente, ou seja, alavancando ou paralisando completamente nossa existência; e embora o espírito do mundo espalhe aos quatro ventos dizendo que todas as nossas decisões são cruciais; na verdade, ele faz isso para induzir as pessoas a gastar muito mais tempo e energia do que deveriam se  debatendo e desgastando com escolhas e decisões sem qualquer importância real para nossas vidas como se elas fossem cruciais.

E por que o espírito do mundo faz isso?

Porque ele sabe que, ao obrigar qualquer um a lidar com várias escolhas e decisões sem importância ao mesmo tempo, durante anos, a maioria das pessoas vai acabar desenvolvendo uma fadiga decisória  que os desgastará mentalmente e os induzirá de modo que se confundam em suas escolhas mais importantes, e essa confusão fará com que tomem diversas decisões equivocadas, principalmente naqueles assuntos que realmente são vitais para o pleno desenvolvimento de uma vida verdadeiramente produtiva. Criar confusão e caos é uma das principais táticas que o espírito do mundo usa, desde o início dos tempos, para influenciar as pessoas e desvirtuá-las de trilhar o caminho no qual produziriam os melhores, e mais duradouros, frutos.

E como desenvolver a clareza espiritual e mental necessária para não ter nossas escolhas e decisões influenciadas e confundidas pelo espirito do mundo?

Primeiramente, compreendendo que durante o período de uma vida, poucas serão as decisões e escolhas que realmente têm a capacidade de nos impulsionar muito à frente ou nos destruir completamente, portanto devemos nos concentrar em descobrir quais são para que possamos lidar com elas sabiamente; e entendendo isso, teremos a consciência plena de que devemos focar nossa atenção, energia, tempo e fé justamente para fazermos as melhores escolhas nestas poucas decisões que, de fato, são vitais para nossa existência.

O simples fato de compreendermos isso já nos separa da grande multidão de pessoas, tanto mundanas quanto dentro de congregações, que vivem constantemente se debatendo com todo tipo de decisões e escolhas irrelevantes como se fossem de suma importância, sem se dar conta de que essa forma de viver vai desvirtuá-los do caminho mais adequado para a construção de uma vida plena, e, no médio e longo prazo, vai devorar todos os seus dons, talentos e recursos, tornando-os improdutivos tanto para a vida que foram chamados para construir quanto para a missão para a qual foram comissionados a desempenhar.

E qual é a relação de tudo isso com o que está escrito em Provérbios 25.24?

Tudo. Porque uma destas poucas escolhas e decisões realmente vitais em que não podemos errar sob pena de desvirtuarmos completamente a nossa vida, se o fizermos, é justamente no que diz respeito à pessoa com quem dividiremos a nossa existência aqui na terra para formarmos uma família, ou seja, a pessoa com quem nos uniremos em matrimônio. Está escrito: “Melhor é morar num canto de umas águas furtadas do que com uma mulher rixosa numa casa ampla.” Provérbios 25.24. Tenho certeza de que você compreende que o versículo fala sobre a mulher rixosa, e isso se aplica ao caso do homem; mas o mesmo raciocínio contido nessa passagem também pode ser aplicado para o homem rixoso, no caso das mulheres. O ponto central do versículo é deixar claro para nós que é melhor escolher ou decidir viver sozinho em um lugar pequeno e desconfortável do que levar uma vida de confortos com a pessoa errada.

Mas Deus deseja que alguém viva sozinho?

Não. Na verdade Deus quer que cada um encontre a pessoa correta para sua vida, como está escrito: "Melhor é serem dois do que um..." Eclesiastes 4.9A. Ele apenas usa o texto de Provérbios 25.24 para fazer uma importante, e pertinente alerta, em forma de comparação, que deixe muito claro para nós o quão danoso para a vida de uma pessoa é unir-se em matrimônio com alguém que verdadeiramente não se conecte conosco em todos os níveis de existência, a saber, espiritualmente, emocionalmente, racionalmente e fisicamente. A pessoa com quem alguém se casa pode fortalece-lo(a) ou debilitá-lo(a), pode impulsioná-lo(a) ou acorrentá-lo(a) ao solo, pode nutri-lo(a) ou devorá-lo(a), pode simplificar a vida ou pode complicá-la terrivelmente, pode aproximá-lo(a) ou afastá-lo(a) de Deus; pode edificá-lo(a) ou pode arruiná-lo(a), isso tudo e muito mais; e o que vai diferenciar qual dos caminhos será trilhado no matrimônio, e, por consequência, na vida, é encontrar a esposa ou esposo que seja adequado para nossa vida, pois quem o faz, automaticamente recebe uma grande benção da parte de Deus, como está escrito em: "O que acha uma mulher acha uma coisa boa e alcançou a benevolência do SENHOR." Provérbios 18.22. Novamente, note que este versículo fala sobre a pessoa que encontrar a esposa certa para si, mas também se aplica para as mulheres que acham um esposo adequado para elas. Estes terão recebido a benevolência do SENHOR na vida matrimonial e ela se ramificará por todas as outras áreas da vida. Eis aí a gravidade e a importância de escolher e decidir sabiamente neste assunto, pois toda a nossa, vida a partir de então, depende disso.

E o que devemos analisar em uma pessoa para tomarmos a decisão correta e escolhermos adequadamente?

Para encontrarmos alguém realmente adequado para nos unirmos em matrimônio, dividirmos nossa existência e nos fundirmos em essência, pois foi escrito que "...Serão os dois uma só carne e, assim, já não serão dois, mas uma só carne." Marcos 10.8; precisamos investigar profundamente as convicções, as crenças, os princípios, os valores, a visão e os sonhos dela para termos certeza de que são compatíveis com aquilo que Deus realmente deseja de nossa vida, tanto individualmente quanto como casal; porque se forem, todos estes valores, virtudes e atributos da outra pessoa se casarão com os nossos, e nossa força, como casal, será maior do que a mera soma de um com o outro, na verdade, tudo em nós se multiplicará por causa dessa união, nossa visão ficara mais forte, nossas convicções ficarão mais sólidas, nossos sonhos ficarão mais claros, e tudo em nós se encaixará perfeitamente, de modo que um sempre se fortaleça no outro, o marido na esposa e vice versa; dessa forma todo trabalho, projeto e tudo o que idealizarem e fizerem juntos terá melhor desempenho e recompensa, até mesmo quando um dos dois estiver ligeiramente enfraquecido pelas adversidades e tempestades da vida; pois está escrito: "Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque, se um cair, o outro levanta o seu companheiro..." Eclesiastes 4.9-10A. 

Por outro lado, se escolhermos um cônjuge de maneira displicente e aleatória, da mesma forma como muitos dos mundanos o fazem, por pressão social e baseando-nos em desejos de curto prazo, atributos físicos, afinidades irrelevantes, bens materiais, potencial de ganho financeiro, busca por status ou outras frivolidades, e, sem investigar devidamente se os mais íntimos valores, princípios, crenças e convicções que guiam e constroem o caráter de tal pessoa são realmente agradáveis a Deus e compatíveis com os nossos; ocorrerá que, casando com essa pessoa, todas as dádivas, os sonhos, os objetivos, as metas, a visão, a missão, as vontades e todas as coisas que compõe a parte mais profunda de nosso interior acabarão, no médio e longo prazo, se chocando, cada vez mais violentamente, com os da outra pessoa; e com o passar do tempo essas colisões fatalmente provocarão todo tipo de rixas entre o casal, por motivos banais ou sem qualquer motivo, que tornarão a vida de ambos cada vez mais pesada, confusa, medíocre e em alguns casos, completamente caótica e até mesmo fisicamente perigosa, como já vimos, por exemplo, nos casos em que muitas mulheres são covardemente agredidas por seus próprios maridos ou nos casos em que o marido é violentamente difamado por sua própria esposa. O fato é que quem escolher um cônjuge da forma fútil e sem a devida consciência e clareza necessárias para fazê-lo, acabará vendo sua vida ser tomada por rixas que se acumularão até que se tornem fardos insuportáveis, e mesmo que o casal se esforce para sustentar falsas aparências de amor, alegria e cumplicidade diante da sociedade; estarão sempre presos a uma guerra particular que não poderão vencer pelos meios naturais, ou sem que haja uma profunda transformação de ambos.

Qualquer um que deseje encontrar a pessoa mais adequada para se unir em matrimônio, deve primeiramente conhecer a si mesmo, para então, ter a consciência e a clareza de quais são os valores, princípio, visão, sonhos, objetivos, convicções; ou seja, as virtudes e o caráter que a outra pessoa deve ter de modo que verdadeiramente possam se unir aos nossos gerando pleno fortalecimento interno e externo para ambos; justamente aquilo que Provérbios 18.22 chama de "...A benevolência do SENHOR.". Porque, em verdade, o casamento é muito mais do que uma mera união social entre o homem e uma mulher, pois trata-se de uma completa conjunção entre eles, nos seus mais vários níveis de existência; espiritual, mental e físico, de uma forma tão profunda, abrangente e complexa que somente Deus é capaz de fazê-lo plenamente e somente a morte é capaz de desfazer; por isso foi escrito que: "Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem." Mateus 19.6 

O que mais importa na pessoa que escolhemos para nos unirmos em matrimônio jamais deve ser o potencial de ganho ou crescimento financeiro, social, ministerial, profissional, social ou nada como isso, de igual modo, nossa escolha não deve estar baseada sobre os padrões deturpados de beleza, sucesso e riqueza, que são devoradores de vidas, absurdamente cultuados na sociedade atual, pois está escrito que: "Enganosa é a graça, a vaidade e a formosura..." Provérbios 31.30. Nossa escolha deve ser pautada pelas virtudes, valores, princípios e caráter que possam gerar uma fusão perfeitamente ajustada com os nossos, pois dessa maneira não haverá rixas nem qualquer tipo de ruptura ou divisão entre o casal, não importa se estiverem morando em uma casa pequena e desconfortável ou em uma grande e luxuosa mansão; quer estejam enfrentando tempos complicados, difíceis e trabalhosos, de tempestade, ou, grande bonança. Sempre estarão remando na mesma direção. 

Se alguém escolher e casar com uma pessoa ciumenta, por exemplo, tal matrimônio será marcado por muitas rixas, e intenso sofrimento que impedirá a ambos de se desenvolver de maneira saudável; mas se escolhermos sabiamente seremos capazes de nos desenvolver e solidificar cada vez mais um no outro, a esposa no marido e vice e versa, independente das circunstâncias ao redor. Este é o caminho mais simples para que a união entre homem e mulher não possua rixas, floresça e sirva como base sólida para a construção de uma família bem estruturada e inabalável que alcance o seu máximo potencial em todos os aspectos da vida. 


Comentários

  1. Queria que esse texto ficasse marcado em mi de forma q não pudesse ser apagado pela sedução desse mundo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c