Pular para o conteúdo principal

“Mas nós não recebemos o espírito do mundo...” 1 Coríntios 2.12



“Mas nós não recebemos o espírito do mundo...” 1 Coríntios 2.12

O que este versículo significa na prática?

Se você já leu algum dos textos que escrevi aqui, muito provavelmente tenha percebido que costumo usar com frequência a expressão “espírito do mundo” e faço isso para deixar claro que todo mal que há no planeta tem origem em uma única criatura. Tenho certeza de que você já sabe muito bem que o espírito do mundo ao qual me refiro nos textos é o mesmo que a bíblia também chama de diabo, a antiga serpente; conhecido como o dragão e satanás, o enganador, que foi lançado sobre a terra, como está escrito em: “E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra...” Apocalipse 12.9. Entretanto existe um motivo para eu preferir usar a expressão “espírito do mundo” ao invés de diabo quando escrevo.

E que motivo é esse?

A grande maioria das pessoas simplesmente não acredita que o diabo exista e, por mais estranho que pareça, muitas delas estão dentro de congregações. Muitos acham que o mal que tem assolado a humanidade seja apenas uma parte da própria humanidade e mesmo com vários textos bíblicos mostrando a origem de todo mal como sendo uma criatura extremamente corrupta e corrompida que se rebelou contra o Criador e passou a influenciar negativamente primeiro os anjos e depois a raça humana desde Adão e Eva até os dias atuais, muitos ainda encaram esta criatura como sendo apenas um mero personagem bíblico, mais como uma fábula do que como algo real, e ao fazer isso ignoram toda a pernisciosidade que este inimigo possui, logo, baixam a guarda, passam  a ver as mazelas que nos rodeiam como coisas naturais e como fruto do desenvolvimento humano ou apenas como patologias físicas e psíquicas; é assim que tais pessoas se tornam presas fáceis para o diabo, pois não conseguem enxergar a ligação entre essa criatura e o mal que atinge toda a sociedade na terra há milênios.

Por esse motivo, ou seja, na tentativa de mostrar mais claramente que todo o mal que há, tanto nos indivíduos quanto na sociedade, está intimamente ligado e possui a mesma origem hedionda é que, nos textos que escrevo, procuro usar muito mais a expressão "espírito do mundo" toda vez que desejo me referir ao diabo ou a ação e influência dele sobre os seres humanos e na sociedade em geral. Minha esperança, com isso, é que lendo dessa forma fique mais claro e fácil de se dar conta de que a causa primária de todas as falhas, faltas, injustiças e exageros sociais é o próprio diabo agindo sorrateiramente a partir dos recantos mais sombrios do coração e mente das pessoas, influenciando pensamentos, sentimentos e emoções; plantando desejos infinitos, gerando vontades sem controle, soprando mentiras, jogando e propagando falsas verdades, provocando todo tipo de contenda e batalhas internas, externas, e, dessa forma, manipulando as pessoas com o único intuito de fazer a humanidade se degradar e se autodestruir mergulhada em confusão, sofrimento e caos.

Embora o diabo (espírito do mundo) seja uma criatura espiritual, seus tentáculos se movem livremente no mundo físico, tanto contaminando os corações e mentes das pessoas, quanto, influenciando o modo como tais pessoas constroem a sociedade em que vivem; e o fato da grande maioria da humanidade simplesmente ignorar a real existência e a ação dessa criatura e por isso aceitarem passivamente sua influência silenciosa, reproduzindo os pensamentos, as mentalidades, os sentimentos, as emoções, as palavras e as ações inspiradas pelo espírito do mundo, assumindo-os como se fossem comuns, é o que caracteriza que tais pessoas receberam, aceitaram, e, portanto, são guiados pelo espírito do mundo.

Mas e quanto aos cristãos?

Segundo o texto de 1 Coríntios 2.12, nós, cristãos, não recebemos o espírito do mundo, como foi escrito: "Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus...". Na prática isso significa que toda a existência dos cristãos é completamente diferente daquela demonstrada pelos mundanos e religiosos no que diz respeito ao modo como constroem sua vida e interagem com a sociedade ao redor. Ou seja, enquanto o espírito do mundo influência as pessoas e as inclina para todo tipo de comportamento destrutivo e autodestrutivo como o ódio, as vaidades, a arrogância, o egoísmo, o egocentrismo, as injustiças, as mentiras, os preconceitos, as loucuras, os roubos, as divisões, as megalomanias, a avareza, o consumismo, as invejas, a escassez, as corrupções, a morte e muitas outras maldades que a bíblia chama de "Inclinação da carne" que são praticadas tanto com eles mesmos quanto com os outros ao redor e se configuram em inimizade contra Deus, como está escrito em: "Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus..." Romanos 8.7A. O Espírito de Deus, por outro lado, abre os olhos dos cristãos para que possam ver claramente, assim como, compreender toda aquela atuação e influência negativa e abandoná-las, fazendo com que possamos nos inclinar para pensar, falar e agir baseados na justiça, na verdade, na humildade, na simplicidade, na misericórdia, na compaixão, na união, na unidade, na abundância, no compartilhamento, na generosidade, na caridade, na construção de uma personalidade e de um estilo de vida que beneficie todos os que estão ao redor e de uma sociedade cada vez mais saudável. Essa é o que a bíblia chama de "Inclinação do Espírito", e é ela que nos leva a ter uma vida plena e pacifica, como foi dito: "... Mas a inclinação do Espírito é vida e paz." Romanos 8.6B. 

Enquanto aqueles que possuem o espírito do mundo desejam beneficiar apenas a si mesmos, e os seus, envolvendo-se e praticando todos aqueles comportamentos da carne que vimos antes, não se importando com mais ninguém, nem mesmo com os que estão sofrendo e precisando de ajuda e gerando ainda mais sofrimento, confusão, batalhas e caos. Por outro lado, quando o cristianismo é praticado de verdade por aqueles que receberam o Espírito de Deus, todos se beneficiam, toda a sociedade, até mesmo quem não é cristão, porque cristãos vivem para abençoar, amam os que se dizem inimigos do cristianismo, bendizem os que os maldizem, fazem bem aos que os odeiam e oram em favor dos que os maltratam e os perseguem, como nos foi ensinado em: "...Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem." Mateus 5.44; seja isso no âmbito pessoal ou social. Estes são os que não possuem as mentalidades que governam a sociedade mundana, não praticam os modismos sociais que surgem, não caminham segundo a direção da multidão, ou seja, não receberam o espírito do mundo, mas sim o espírito maior que provém de Deus, como foi dito: "...Maior é o (Espírito) que está em vós do que o (espírito) que está no mundo." 1 João 4.4.  Estes são os verdadeiros cristãos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c