Pular para o conteúdo principal

“Deitar-me faz em verdes pastos...” Salmos 23.2A



“Deitar-me faz em verdes pastos...” Salmos 23.2A

Você conhece a expressão mundana: “A grama do vizinho é sempre mais verde”?

Milhares de pessoas tanto no mundo quanto dentro de congregações têm sofrido bastante enquanto lutam, correndo em círculos, tentando encontrar uma vida plena e realizada, mas sem conseguir, porque possuem exatamente essa visão de que “a grama do vizinho é sempre mais verde”. A verdade sobre essa visão deturpada é que ela deforma toda a percepção de realidade que uma pessoa tem e cria um falso panorama baseado apenas nas aparências que outras pessoas demonstram, assim como na comparação continua entre a nossa vida e a de outros. Algo que por si só não faz qualquer sentido.

Grande parte da maldade oculta nessa visão vem do fato dela gerar insatisfação e cobiça constantemente. A insatisfação para com tudo o que a própria pessoa possui, não importando o quão bom seja; e a cobiça disparando desejos ardentes de possuir coisas que as outras pessoas têm, por exemplo: Uma casa como a deles, um carro como o deles, objetos iguais aos deles, roupas parecidas com as deles, eletrônicos semelhantes aos deles, uma viagem como a que eles fizeram, um mesmo emprego que eles, um ministério como o deles, os dons e talentos que eles possuem, e em alguns casos mais extremos até uma família, um marido ou uma esposa como a dos outros. Tudo isso porque tal pessoa não consegue valorizar o que ela própria recebeu, possui ou conquista, e, julga que todas as coisas que pertencem ou fazem parte da vida dos outros têm mais valor do que as da sua vida.

Cristãos sabem que esse pensamento não passa de um emaranhado de enganos, porque nenhum objeto possui um valor absoluto, na verdade, objetos não têm valor, eles têm apenas custo e preço, e mesmo assim são ambos transitórios. Por outro lado, cristãos sabem que apenas as pessoas possuem valor, e tal valor excede, e muito, a nossa capacidade de compreensão.

Porém, não é apenas no nível físico que a visão da “grama mais verde do vizinho” se manifesta; ela também se ramifica profundamente no plano espiritual, pois certas pessoas passam a acreditar que a oração do outro é mais eficaz, ou louvor dos outros é mais bonito, a pregação dos outros é mais inspirada, a congregação dos outros é melhor, e assim por diante; o problema aqui é que isso nunca tem fim, portanto, tais pessoas jamais conseguem se firmar espiritualmente porque, na visão delas, seus dons e talentos são sempre inferiores aos das demais e para tentar compensar tal diferença vivem vagando de um lado para outro, sem trilhar seu próprio caminho, saltando entre congregações, sem encontrar seu propósito de vida, seguindo diversos líderes, negligenciando a missão pessoal que Deus reservou para ela; ouvindo todas as vozes que conseguem, na esperança de finalmente obter os mesmos resultados que os outros produzem, mas isso nunca acontece porque a visão distorcida que possuem da realidade não os permite ver claramente a verdade e sempre diz a eles que o que possuem ou fazem é inferior ao dos outros.

E como se livrar dessa visão enganosa?

É exatamente aqui que a primeira parte do versículo 2 do Salmo 23 faz toda a diferença, quando compreendido, pois diz: "Deitar-me faz em verdes pastos...".

O rei Davi demonstra, neste versículo, ter profunda certeza de que Deus o estava fazendo descansar em pastos verdejantes; independentemente das batalhas que ele travava, dos inimigos que enfrentava, das fraquezas que possuía e etc... Note que o versículo está no tempo presente, e não no futuro, que seria algo mais ou menos como isso: Me fará deitar em verdes pastos...

Sabe o que isso me diz? Que a única forma de uma pessoa vencer a visão mundana que diz que a grama do vizinho é sempre mais verde, é criando uma percepção e uma convicção absoluta de que já está deitada sobre os pastos mais verdejantes; ou seja, é entender que ela não precisa ter tudo o que acha que precisa para viver uma vida completa, muito menos o que a mídia insiste em dizer que todas as pessoas precisam; além disso, é compreender que ela não necessita ficar constantemente de olho ao redor, no que os outros possuem ou fazem, para cobiçar o mesmo para sua vida, pois está escrito que: "Melhor é a vista dos olhos do que o vagear da cobiça". Eclesiastes 6.9. Isso significa que para construir uma vida plena a pessoa precisa apenas plantar e cultivar duas sementes, são elas: A gratidão e o contentamento.

Todo cristão constrói uma visão de que já está constantemente deitado (descansando) sobre pastos verdejantes independentemente do que possuam, façam ou recebam, porque, primeiro, compreendem que não precisam atender e cumprir as expectativas que o espírito do mundo, através da sociedade, deposita sobre eles, como por exemplo: Ganhar o máximo de dinheiro possível, demonstrar status social através de posses e bens de alto custo e outras coisas como essas; e segundo, porque cristãos são mestres na gratidão e no contentamento. Isso significa que todo cristão verdadeiro é tão grato a Deus por tudo o que possuem, recebem e conquistam na vida que não sobra nenhum espaço espiritual, mental ou emocional em seu coração para que o mundo plante insatisfação e cobiça. 

O espírito do mundo não consegue dizer aos Cristão que o que eles possuem não é bom o suficiente ou que eles precisam desesperadamente comprar coisas semelhantes aquelas que seus vizinhos, conhecidos, familiares, amigos e irmãos em Cristo têm; nem consegue plantar em seu interior o pensamento de que todas as posses de outros é melhor do que as suas, porque a gratidão e o contentamento dos cristãos por tudo o que possuem, ainda que seja pouco aos olhos do mundo, faz com que eles percebam que é o suficiente e se encaixa perfeitamente em atender suas necessidades, logo, não há razão para desejar mais do mesmo apenas porque alguém próximo também tem.

Deixe-me tentar ser mais claro:

Se um cristão possui um celular e ele tem plena consciência de que o aparelho o atende nas suas necessidades pessoais e, ou, profissionais, e está alinhado com o estilo de vida que ele leva, isso vai gerar grande satisfação e contentamento sobre tal aparelho, mesmo que seja de um modelo não tão novo, e dessa maneira não há como o espírito do mundo incitar ele a cobiçar um novo aparelho apenas porque algum conhecido comprou um mais moderno.

Sei que este exemplo foi muito simples, mas o ponto aqui é que o mesmo pensamento deve ser aplicado para praticamente tudo em nossas vidas, casa, carro, roupas, objetos, dons e talentos, missão pessoal e etc... Se eu tenho consciência de que possuo o dom da escrita e procuro usá-lo sempre da melhor maneira possível, inclusive de modo a glorificar a Deus com ele, isso vai gerar em mim verdadeira gratidão a Deus por ter me presenteado com tal dom, assim como também vai gerar grande satisfação, e contentamento, por estar usando tal dom de forma positiva, construtiva e em favor não só de mim mesmo, mas de outras pessoas; dessa maneira não sobra espaço para que o espírito do mundo me faça cobiçar os dons do meu próximo, por mais frutíferos e públicos que sejam; nesta área, com este entendimento, eu estou em pastos verdejantes, e quando estou nesta posição não sinto falta de coisa alguma, isso significa que tenho plena consciência de que meu dom é suficiente para mim e para ser usado e contribuir com outras vidas também. O mesmo acontece na relação que tenho com tudo o que possuo, recebo e faço na vida.

O grande entendimento do Salmo 23.2A é que devemos reconhecer que já estamos nos pastos verdejantes, independentemente de algo que por ventura, segundo a nossa visão limitada e imediatista, ainda nos falte, mas o fato é que se prestarmos mais atenção e formos sinceros vamos perceber que o que já possuímos é suficiente para ser muito bem utilizado tanto em nossa vida, em nosso relacionamento com Deus e na contribuição para ajudar a vida de outros. Este entendimento nos fará sentir como se vivêssemos constantemente no lugar que tem a grama mais verde de todas; e além disso nos fará frutificar muito mais e melhor. 

Comentários

  1. Incrível cara, sei nem o que dizer e como vim parar aqui, mas é demais esta explicação. É muito isso velho, que leitura sensacional me identifiquei bastante. Sou muito assim, meus amigos me forçam a querer que eu sinta inveja de seus carros, roupas de marcas, celulares, mulheres, e eu meio que na ingenuidade nem consigo olhar aquilo como algo que eu queira, creio que devo estar ciente que estou em pastos verdes, o meu pasto é o mais verde de todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!
      Fico contente em saber que este texto foi útil a você de alguma maneira. Também é ótimo saber que você já tem a mentalidade correta, pois isso será muito saudável para você durante toda a sua vida.
      Agradeço pelo seu comentário.
      Que Deus te dê Paz, saúde, sabedoria e sucesso.
      Grande abraço.

      Excluir
  2. Bom dia graça e paz,foi sensacional me deparar-me com essa explicação Deus é fiel ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, graça e paz!
      Obrigado por deixar seu comentário aqui.
      Fico contente em saber que você gostou do texto.
      Que maravilhosa luz de Cristo brilhe intensamente através de você e abençoe a todos ao seu redor.
      Grande abraço.

      Excluir
  3. Boa noite! Como Deus foi bom comigo ao me colocar nesta esplicação biblica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Agradeço a Deus por trazer você até aqui.
      Obrigado por deixar seu comentário.
      Que a divina sabedoria dê a você, clareza, consciência e lucidez de pensamento e de fé.
      Grande abraço.😊

      Excluir
  4. Qual maravilhoso é saber que outros tem a mesma visão de pasto próprio, onde visam seu pasto como verde e suficiente, isso n é egoísmo é saber q temos um Deus q zela pelos seus, o mais brilhante dessa nossa condição é querer q outros desfrutem desse nosso pasto, n por querer aprisionar em nosso mundo quem vive em gramas artificiais mas q apara q possam saber a diferença entre o real do IRREAL, obg DEUS por ser meu PASTOR 🙏🏻

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      É exatamente isso.
      Seu comentário foi excelente. Obrigado por deixá-lo aqui.
      Que a sua vida seja sempre perfeitamente conduzida pela maravilhosa voz de Cristo.
      Grande abraço.
      Felicidades pra ti.😃💖

      Excluir
  5. Não poderia sair daqui sem deixar o meu muito obrigado por esta explicação a respeito do salmo 23. De uma coisa eu tenho certeza, " quando Deus quer é assim"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Agradeço a Deus por poder falar com você.
      Fico contente em receber o seu comentário. Obrigado por deixá-lo aqui.
      Que você se fortaleça cada vez mais na maravilhosa Graça e no poderoso Amor de Cristo.
      Grande abraço.
      Felicidades pra ti.😊💖👍

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c