Pular para o conteúdo principal

“O justo se compadece e dá.” Salmos 37.21b



“O justo se compadece e dá.” Salmos 37.21b

O ato de dar pode acontecer por dois motivos, generosidade ou caridade e ambas são características marcantes e amplamente praticadas pelos cristãos de todas as gerações. Provavelmente você já tenha ouvido aquela frase famosa que diz que ninguém é tão pobre que não tenha como ajudar a quem necessita, e isso é verdade porque o ato de ajudar o próximo não depende exclusivamente de posses, classe social, ou situação financeira, mas sim de um coração justo e orientado pela compaixão, como está escrito: "Informa-se o justo da causa dos pobres.." Provérbios 29.7a; ou seja, o cristão, que é justo, procura saber como pode ajudar aos que precisam.

Há algum tempo atrás escrevi um texto que tinha como ponto central o intuito de fazer os leitores refletirem sobre descobrir algo em suas vidas para oferecer aos outros através de vendas, pois está escrito que “Bênção haverá sobre a cabeça do vendedor.” Provérbios 11.26; mas agora chegou o momento de refletirmos seriamente sobre o que cada um de nós têm para dar/doar ao nosso próximo.

Tanto a generosidade quanto a caridade são virtudes que nos tornam pessoalmente, mentalmente e espiritualmente mais fortes, mas neste texto vou abordar apenas a caridade para que possamos focar nossa atenção de maneira mais produtiva sobre o tema; porém, não se preocupe, em breve farei um texto que vai abordar apenas a generosidade.

Para começar nosso entendimento precisamos responder a seguinte pergunta: O que é caridade?

Para responder esta questão vou lançar mão novamente do versículo destacado no título desta postagem, que diz: "O justo se compadece e dá." Salmos 37.21b

A caridade é uma ação que tem sua origem na compaixão. Note que a caridade não é uma intenção ou um sentimento como muitos pensam; caridade não se sente, caridade se pratica. Por outro lado, o princípio da caridade está na compaixão, esta sim é um sentimento cuja raiz está no amor, e como está escrito: "Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor." 1 João 4.8 E.R.A. Existe um versão bem conhecida deste versículo de 1 João 4.8 que é ainda mais direta e diz: "Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é caridade.", ou seja, quem ama, quem conhece a Deus, pratica caridade, e fazendo isso cumprirão a palavra do próprio Cristo quando disse: "...Porque tive fome, e deste-me de comer; tive sede, e deste-me de beber; era estrangeiro, e hospedaste-me; estava nu e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me." Mateus 25.23-36.

Existe uma relação direta entre amar e dar ou doar, como podemos ver claramente na famosa passagem de João 3.16, que diz: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito...", portanto, para que a caridade que praticamos em nossa vida seja legítima, perfeita e tenha a sua obra completa, ela precisa ser realizada, inspirada pela compaixão que é gerada e nasce do amor; da mesma forma que o nosso Poderoso Deus, que é Justo, demonstrou com seus atos, pois Ele nos amou de tal maneira que teve compaixão de nós a ponto de enviar Jesus para nos resgatar do pecado original e restabelecer nossa comunhão, união e unidade com o Criador, e como se todo isso fosse pouco, o próprio Cristo teve compaixão de nós e pela graça e por caridade venceu nossos inimigos e também nos deu incontáveis dádivas, como está escrito em: "...Levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens." Efésios 4.8; outra conhecida passagem que também nos diz isso é aquela em 2 Pedro 1.3, onde está escrito: "Visto como seu Divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade...".

Espero que tudo o que foi dito até aqui tenha servido para que você, leitor, veja e compreenda ao menos as bases da caridade prática, porque o ponto aqui é que nós, cristãos, devemos reproduzi-la em nossa vida, ou seja, praticando em favor de outras pessoas da mesma forma como cristo fez e faz conosco; pois Ele mesmo disse certa vez: "...Eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também." João 13.15. Jesus é o exemplo máximo de caridade que temos para seguir, de modo que se desejamos ser cada vez mais parecidos com Ele, e todo cristão deseja isso; precisamos melhorar e aumentar nossa capacidade de praticar a caridade da forma correta em nosso cotidiano. Lembre-se que caridade é ação, ou seja, pessoas que dizem sentir caridade, mas não fazem nada para amenizar o sofrimento dos que precisam ou não ajudam aos necessitados em suas aflições, são pessoas vazias do amor. Saiba também que a caridade, assim como a generosidade e tantas outras, são formas que o amor tem de se manifestar e mudar a realidade do mundo para melhor.

Isso encera a parte teórica deste texto, então vamos passar para a parte prática. A primeira coisa que devemos fazer é responder a seguinte pergunta:  Como eu pratico a caridade?

Existe literalmente milhares de formas de praticarmos a caridade e se você mantiver vivo este entendimento, que acabo de compartilhar acima, em sua mente, e olhar em volta, tenho certeza absoluta de que Deus lhe mostrará algo, alguém ou alguma lugar onde plantar sua caridade, mas como me propus a escrever este texto de modo a oferecer um raciocínio completo e aplicável para você, leitor, então vou terminar o texto compartilhando 4 formas simples de você começar a demonstrar sua caridade ou se tornar uma pessoa mais caridosa.

Se eu fosse resumir os próximos parágrafos em uma única palavra, tal palavra seria: Filantropia. E caso você queira uma definição do que a Filantropia realmente é, eu diria que ela é uma forma especial de enxergar aqueles que necessitam de ajuda de modo a oferecer algo, do que temos, em favor dos que precisam; e o simples ato de poder ajudar ao nosso próximo já é, por si só, uma grande bênção e privilégio que nosso Deus nos concede. Tal definição é baseada na seguinte passagem bíblica que diz: "O que é de bons olhos será abençoado, porque deu do seu pão ao pobre." Provérbios 22.9. 

* Desentulhe sua vida e dê ou doe tudo o que não tem mais utilidade pra você.

A maioria de nós possui uma série de itens que não usamos mais, mas que mantemos em nossa casa "apenas para o caso de precisarmos deles algum dia", porém nunca precisamos; tais coisas estão sempre lá paradas em algum ponto ou canto de nossa vida, como pesos-mortos, que insistimos em manter e carregar por motivos que muitas vezes não são claros nem para nós mesmos; entretanto, o que não tem uso em nossa vida pode certamente ser muito útil para outra pessoa. Roupas, acessórios, brinquedos, livros, eletrônicos e toda sorte de bens materiais, posses, objetos e utensílios que, por egoísmo, insistimos em manter conosco, poderiam estar fazendo verdadeira diferença nas mãos de outros. Então, por que não, doá-los? Desfaça-se do que você não precisa mais, encontre alguém que precise e dê. Porque "Ao SENHOR empresta o que se compadece do pobre..." Provérbios 19.17

* Encontre uma causa para dar suporte.

Muito embora cristãos não possuam bandeiras, encontrar uma causa humanitária para com a qual colaborar é algo agradável a Deus, além de ser muito saudável, significativo e recompensador.  Existem inúmeros organismos sérios necessitando que mais pessoas caridosas os ajudem, entidades filantrópicas como os Médicos Sem Fronteiras, a AACD, O Hospital de Câncer de Barretos, GRAACC, ou mesmo aquelas instituições próximas de sua casa como hospitais, escolas, casas de repouso ou outros. Encontre uma instituição que realize um trabalho comprovadamente sério e doe recursos para ajudá-los; se possível visite-os, porque "A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações..." Tiago 1.27. Certamente órfãos e viúvas, nesta passagem, são apenas uma alusão de época e representam todos aqueles que precisam ser ajudados.

* Doe Sangue.

Imagine se um dia os moradores de sua cidade, região ou estado acordassem com a seguinte notícia sendo divulgada nas mídias: "Cristãos fazem doação de sangue em massa e assumem o compromisso de manter hemocentros abastecidos.". Imagine o quanto o bom testemunho de um ato desses ecoaria nos corações das pessoas, principalmente daquelas que possuem algum parente ou conhecido passando por uma situação na qual precisa receber sangue.
Um ato dessa magnitude atingiria o coração das pessoas como um terremoto, de tal forma que, certamente, faria mesmo aqueles que dizem não crer em Deus agradecê-Lo por tamanha demonstração de amor, compaixão e caridade; como sabemos que devemos fazer: "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus." Mateus 5.16. Porém, enquanto um dia como esse não chega, nada impede a mim e a você de fazermos nossa parte e doarmos nosso sangue sempre que possível. "Porque a vida da carne está no sangue." Levítico 17.11 E.R.A. Logo, doar sangue é doar vida.

* Mantenha o coração, a mente e os olhos abertos para as oportunidades cotidianas de praticarmos a caridade.

Todos os dias algumas oportunidades de manifestarmos a caridade cruzam nossa vida, mas como se fossemos mundanos, não as enxergamos, ou pior, fechamos propositalmente nossos olhos para não vê-las, porque nosso coração e mente estão orientados apenas para lidar apenas com o corre-corre da nossa atarefada vida moderna. Cristãos têm em mente que abençoar o próximo, por si só, já é uma grande bênção para eles próprios, pois sabem que "Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber." Atos 20.35. E por este motivo mantêm seu espírito sempre alerta e pronto para aproveitar as oportunidades únicas que cada dia pode revelar, pois está escrito: "...Enquanto temos tempo, façamos o bem a todos..." Gálatas 6.10

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c