Pular para o conteúdo principal

Dai, e ser-vos-á dado... Lucas 6.38




Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos darão... Lucas 6.38

O versículo destacado na abertura deste texto é muito conhecido; tenho certeza de que a maioria das pessoas que costumam ler a bíblia já passou por ele algumas vezes e compreendem seu significado de forma geral, que é: Crie valor para seu próximo e só depois você receberá valor abundante como retorno. Na verdade, eu tenho certeza de que alguém já ensinou isso a você, mas há um detalhe específico sobre gerar valor para outras pessoas que não é muito comentado e por este motivo vamos falar sobre ele aqui, porque fará grande diferença na sua compreensão e aplicação prática desta palavra, assim como na colheita gerada através do verso destacado de Lucas 6.38.

E que detalhe seria esse?

A quantidade de valor que você deve gerar para as outras pessoas. Porque todos sabemos exatamente quanto vamos receber de retorno, visto que está claramente escrito: "Boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos darão...", ou seja, todos sabemos que receberemos em abundância, muito mais do que aquilo que necessitamos para viver com qualidade; mas para que isso realmente aconteça, o quanto de valor você tem de dar a Deus e ao próximo? Porque o fato inicial neste processo é que antes de recebermos em abundância, primeiramente precisamos dar; e a primeira lição aqui é que precisamos dar também em abundância. Na média, as pessoas estão completamente dispostas a receber muito, tanto de Deus quanto uns dos outros, mas nem todos estão tão inclinados assim a dar e doar na mesma medida, mesmo sabendo que no mesmo versículo está escrito que: "...Com a mesma medida com que medires também vos medirão de novo." Lucas 6.38; ou seja, não adianta esperar que as pessoas, instituições, governos e, ou, a sociedade faça algo por nós, se nós mesmos não fazemos nada por eles, da mesma maneira não faz sentido pensar que eles farão muito por nós se nós queremos fazer somente o mínimo por eles; portanto, aqui está o primeiro problema pois a escritura diz claramente que: "O que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia em abundância também ceifará." 2 Coríntios 9.6; se alguém espera ou quer receber um retorno de maneira abundante como prometido por Deus em Lucas 6.38, precisa ter em mente que necessariamente precisará dar e doar, pelo menos na mesma medida; e estamos falando aqui de uma forma genérica, ou seja, precisamos aprender a dar e doar nosso tempo, nosso esforço, nosso conhecimento, nossas orações, nossa luz, nossa ajuda, nosso dinheiro, nossos bens, cada qual de com nossas possibilidades e com as oportunidades e situações que surgem ao nosso redor. Basicamente, a mentalidade transformadora contida no versículo destacado na abertura deste texto é a seguinte: "Dai em boa medida, recalcada, sacudida, transbordando e vos darão da mesma forma.

Antes de prosseguirmos, deixe-me fazer uma pequena diferenciação da mentalidade cristã contra a mentalidade mundana a este respeito. A mentalidade mundana está baseada na indiferença e se utiliza da premissa de que devemos fazer por nós primeiro, para só depois fazermos pelos outros; o mundo prega que a sociedade é uma enorme selva e que por este motivo as pessoas precisam necessariamente e constantemente lutar umas contra as outras para conquistar tudo o que querem, realizar seus desejos, concretizar suas vontades e viver suas vidas sem olhar ao redor e até que você passe por cima de quem estiver em seu caminho, para só, então, depois de tudo isso pensar no próximo, se, e somente se, sobrar algum tempo ou alguma vida no fim deste processo. Provavelmente você já ouviu a seguinte frase: Se você não fizer, ninguém fará por você. Cuidado com esta frase porque nela estão ao mesmo tempo verdades e mentiras, de modo a fazer com que as pessoas pensem que em todas as situações é cada um por si e por este motivo não devemos olhar ao redor para oferecer ajuda aos mais fracos. Esta frase tem o intuito de nos induzir à indiferença se, não vigiarmos, e aceitarmos completamente o espírito por detrás dela; e você deve saber que a indiferença é o oposto do amor.

Por outro lado a mentalidade cristã está baseada no amor e se utiliza da premissa de que devemos pensar, ao mesmo tempo, tanto em nós quanto no próximo, como Jesus disse: "Amarás a teu próximo como a ti mesmo." Lucas 22.39; Segundo a mentalidade cristã, não são as pessoas que são nossos adversários, como está escrito: "Porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, as potestades..." Efésios 6.12; logo, a batalha de um cristão é unicamente contra os seres espirituais, portanto, devemos ajudar aos outros ao mesmo tempo em que construímos nossa vida segundo a visão que Deus tem dado para nós.

Dito isso, vamos passar para outra questão importante nesse entendimento porque ela vai mostrar claramente como praticar tanto A generosidade quanto a caridade. E a questão é: Qual é a diferença entre dar e doar?

Quando você entrega algo, seja por admiração, por amor, por retribuição, por amizade ou por qualquer outro motivo, para alguém que não necessariamente precisa daquilo, isso é dar. Por outro lado quando você entrega algo, seja por compaixão, por amor, por amizade, por empatia, por retribuição, etc..., para alguém que realmente necessita daquilo, isso é doação. Deixe-me colocar esse conceito em um exemplo prático para ficar mais fácil de compreender; imagine que você tem um grande amigo com boa situação de vida, tanto financeira quanto familiar, profissional e espiritual; agora imagine que esta pessoa está fazendo aniversário e você, por considerá-lo seu amigo, lhe dê um presente. A verdade é que por mais que seu amigo goste e fique agradecido com seu presente, tal item era algo que ele poderia facilmente comprar por si mesmo, visto que possui uma boa situação financeira, ou seja, seu presente não era algo que ele realmente necessitasse. Neste caso você deu algo a ele; e praticou a virtude da generosidade.

Já com relação a doar; imagine que você conheça ou procure alguém que por algum motivo não tem condições de comprar um tênis, se você comprar um e entregar a esta pessoa, estará fazendo uma doação; e ao mesmo tempo estará praticando a virtude da caridade


Primeiro você deve doar parte de si mesmo, do que você tem, na forma de tempo, ajuda, conhecimento, sabedoria, dinheiro, esforço, orações e etc..., para seu próximo de tal forma que agregue valor para a vida deles, sejam eles conhecidos ou não, e, só depois este valor será revertido para você; e obviamente tal retorno vira também de várias formas diferentes que podem ser: Mais tempo, mais ajuda, mais conhecimento, mais sabedoria, mais amor, mais orações, mais dinheiro e etc.... Entretanto é preciso que você saiba que o retorno só acontecerá quando você tiver gerado grande quantidade de valor para o seu próximo; primeiro você planta e depois você colhe.

Quando a pessoa planta um campo de trigo, o que ela está realmente fazendo é gerando valor para as demais pessoas que processarão o trigo, transformando o grão em farinha; para aqueles que usarão a farinha de trigo para produzir uma multidão de alimentos, para as pessoas que venderão tais alimentos e também para as pessoas que vão consumir tal alimento; e o resultado de toda esta cadeia de geração de valor acaba retornando para aquela primeira pessoa que plantou campo de trigo, seja através de valor monetário que vem pelo comércio feito após a colheita, seja pela satisfação de saber que a partir de sua plantação e colheita se inicia uma grande reação em cadeia positiva, multiplicadora, capaz de sustentar milhares de pessoas. Gerar valor para as pessoas cria um círculo virtuoso, também conhecido como círculo de poder.

Seja como a pessoa que planta o trigo; comece imediatamente a gerar algum tipo de valor para seu próximo, família, amigos, conhecidos, igreja, desconhecidos e sociedade; porque assim todo valor que você criar será transformado em retorno multiplicado para você. Mas pratique muito mais a capacidade de dar do que a de receber, pois está escrito: "...Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber." Atos 20.35. E isso nos leva ao ponto chave neste texto.

Cristãos, sempre, dão e doam muito mais de si para os outros do que recebem e fazem isso simplesmente porque são orientados pelo amor que possuem no coração; mesmo assim, aquilo que Deus reverte em retorno de benefícios é recalcado, sacudido e transbordando.  O espírito do mundo tem tentado, e por vezes conseguido, perverter esse conceito, fazendo com que alguns acreditem que sempre vão receber muito mais do que plantam, mas isso não é verdade; embora, toda a nossa colheita em qualquer área da vida seja realmente muito maior do que nossa plantação, a grande maioria do que é colhido por nós deve ser compartilhado novamente de diversas formas com nosso próximo, seja com ajuda, conhecimento, dinheiro, tempo, apoio e etc... de modo que nossa porção em todo esse processo será a menor, mas não se engane, porque o fato de ficarmos com a menor parte de toda colheita, não significa, em hipótese alguma, que esta parte seja pequena, na verdade, mesmo esta parte menor sempre será, para nós, muito mais do que o suficiente para vivermos a vida sob medida que Deus tem para seus filhos, esta parte, teoricamente menor será sempre, muito mais do que pedimos ou pensamos.

O intuito deste texto é abrir nossos olhos para a sutil artimanha do espírito do mundo que tenta implantar em nosso coração a visão de que nós devemos receber primeiro e muito mais do que damos e doamos, quando na verdade nós devemos dar e doar primeiro e muito mais do que queremos receber; agindo assim nosso retorno, mesmo sendo a menor parte de nossa colheita, será abundante de uma forma tal que transbordará além do que podemos imaginar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c

“Clama a mim, e responder-te-ei...” Jeremias 33.3

“Clama a mim, e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes.” Jeremias 33.3 Deus nunca se cala. Ele está sempre falando conosco, sempre nos respondendo, mesmo quando nos negamos a ouvi-lo; tal como está escrito em Jó 33.14, que diz: "Antes, Deus fala uma e duas vezes; porém ninguém atenta para isso." . Uma vez que qualquer pessoa clame a Deus a respeito de alguma situação ou petição, seja qual for; como foi escrito em Filipenses 4.6, que diz: “...Antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graça .” . Ele próprio afirma no texto de Jeremias 33.3 que responderá. E porque estou falando algo tão óbvio assim? Porque tenho percebido que para muitas pessoas não é tão óbvio; na verdade, já perdi as contas de quantas vezes eu ouvi alguém falar que orou, clamou, pediu e suplicou a Deus a respeito de algo, mas Ele não respondeu. Já ouvi pessoas falarem isso, ou algo semelhante, tant