Pular para o conteúdo principal

Melhor é o que se estima em pouco e tem servos... Provérbios 12.9



“Melhor é o que se estima em pouco e tem servos do que o que se honra a si mesmo e tem falta de pão.” Provérbios 12.9

Quantos servos você possui?

Se a sua resposta foi: Nenhum. Saiba que você PRECISA ter uma boa quantidade de servos para que o seu estilo de vida alcance um patamar de conforto e tranquilidade superior ao da média, mas antes deixe-me explicar o que estou querendo dizer com essa afirmação; continue lendo este texto porque eu vou compartilhar com você uma nova visão bíblica que pode transformar completamente a sua vida para melhor, assim como tem feito com a minha. O primeiro entendimento que deve ficar claro é que na antiguidade a palavra servo geralmente tinha a mesma conotação que a palavra escravo tem para nós atualmente, ou seja, em via de regra um servo era alguém que trabalhava para outra pessoa e sem receber qualquer direito ou compensação em troca; um servo era apenas mais uma posse de seus senhores, como a casa, as terras, o dinheiro ou o gado; e dessa forma o único propósito de um servo/escravo era servir incondicionalmente, dia e noite, àquele a quem pertencia, sem descansos nos fins de semana, sem feriados prolongados, sem férias anuais e sem qualquer remuneração; tudo o que era produzido, gerado e construído pelos servos se revertia em  patrimônio e benefício para seus senhores.

Creio que você deve saber que na sociedade humana atual só existe três tipos de pessoas; são eles: Os escravos, os reféns e os livres. Entre os mundanos e religiosos a maioria absoluta é escrava ou refém de algo (uma ou mais coisas); e apenas uma parcela muitíssimo pequena da humanidade pode realmente dizer que é verdadeiramente livre, ou seja, estas são as pessoas que encontraram a Verdade e Ela os libertou. Outro fato conhecido é que por definição, somente pessoas livres podem possuir servos, certo? Ou seja, nunca um escravo pode possuir escravos.

Apenas os cristãos são verdadeiramente livres tanto na mente, quanto no coração, no espírito e por consequência, na vida cotidiana; livres das mentalidades mundanas, livres dos preconceitos mundanos, livre das influências mundanas, livre da visão de falsa liberdade mundana, livres da imagem fictícia de riqueza mundana, da falsa realidade do mundo, e, livre de toda a estrutura que o mundo criou para manter as pessoas cativas, prisioneiras e reféns, de seus sistemas; e é justamente por este motivo que estou dizendo que, se você é realmente livre, precisa ter escravos/servos.

Então você pensa: Ora! Escravidão é algo hediondo que nunca deveria ter acontecido na história da humanidade. Como, pois, eu devo ter escravos?

E eu concordo totalmente com você; a escravidão humana foi uma forma abominável que o espírito do mundo encontrou de refletir uma de suas características decaída em muitos seres humanos, que é, fazendo pessoas subjugarem seus semelhantes privando-os de toda e qualquer liberdade, tratando-os pior do que a animais e submetendo-os a trabalhos desumanos ininterruptos até a morte. Graças a Deus a escravidão humana foi abolida na maioria das nações desenvolvidas! Entretanto, não é de escravidão humana que vamos conversar aqui neste texto, porque acredito que a palavra contida no versículo 9 de Provérbios 12 fala sobre a necessidade de termos servos, mas obviamente são outros tipos de servos, como está escrito: “E quanto ao homem a quem Deus deu riquezas e fazenda e lhe deu poder para delas comer, e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isso é dom de Deus.” Eclesiastes 5.19.

E que servos são esses?

Pode parecer confuso, mas vou explicar. Tudo o que foi dito até aqui também foi um panorama do conceito de servidão, e fiz isso porque este conceito pode ser muito útil para a sua vida desde que seja aplicado da forma correta. Primeiramente quero deixar claro que cristãos nunca escravizam pessoas e nem concordam com escravidão humana de qualquer natureza ou forma; cristãos desejam que absolutamente todos os seres humanos possam encontrar a Cristo e receber plena liberdade tal como Deus deseja.

Então como o conceito de escravidão pode ser útil para a sua vida?

No começo deste texto eu falei que no passado os servos nada mais eram do que uma posse de seus senhores, servos eram parte do patrimônio de seus donos, assim como uma casa, gado ou dinheiro, e é exatamente esta parte do conceito de servidão escrava que desejo que você compreenda e utilize em sua vida a parti de agora. Não sei se você já percebeu, mas algumas de suas posses atuais e futuras podem se converter em seus servos se você souber como administrá-los de maneira que gerem benefícios em seu favor, como renda passiva ou otimização do seu tempo; e para citar um exemplo fácil de entender vou falar sobre algo muito comum na vida de todos nós.

O seu dinheiro pode ser seu escravo caso você aprenda como fazer para colocá-lo para trabalhar por e para você, e ao fazer isso você estará se desvencilhando de uma das maiores redomas criadas pelo espírito do mundo que inverteu os papeis de modo que a maioria das pessoas passa praticamente a vida inteira como servos do dinheiro, ou seja, trabalhando por e pelo dinheiro, sem que este nunca lhes seja suficiente, como está escrito em: "E o que recebe salário recebe salário num saquitel furado." Ageu 1.6; estes são os que vivem como o descrito na segunda parte do versículo 9 de Provérbios 12, que diz: "...se honra a si mesmo e tem falta de pão.”. Essa parte da passagem retrata a vida da maioria absoluta das pessoas da terra, que vivem apenas para gastar com supérfluos, mas negligenciam tudo o que é vital; compram coisas caras que não podem pagar para impressionar pessoas das quais não gostam e contraem inúmeras dívidas e se sobrecarregam como se isso fosse normal, em contra-partida deixam de construir o que realmente importa para que possam criar uma vida abundante de plenitude autossustentável. Infelizmente estas pessoas são servas do dinheiro, mas não é isso que Jesus deseja para nenhum de nós.

Cristo deseja que você reine em vida, em todas as áreas da sua existência; como está escrito: "...Os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por um só, Jesus Cristo." Romanos 5.17; e como regente de sua própria vida você precisará de servos que trabalhem constantemente em seu favor; portanto, passe a ter essa visão, ou seja, faça o seu dinheiro ser seu escravo e coloque-o para trabalhar pra você, encare cada real como um servo que, embora sozinho não tenha força suficiente de gerar grandes volumes de benefício a seu favor, com o tempo ele renderá e se multiplicará mais e mais, aumentando a sua quantidade de escravos nascidos na sua casa e consequentemente seu patrimônio, gerando mais liberdade para sua vida sem que você precise fazer qualquer esforço adicional para isso acontecer; cada real que você designar ou recrutar como seu escravo vai trabalhar por você dia e noite, sem férias nem feriados enquanto você viver ou enquanto você os mantiver nesta posição.

E como transformar seu dinheiro em seu escravo?

Muito simples; investimento transformará seu dinheiro em seu escravo. Aprenda como investi-lo de forma segura e competente, atualmente há diversas opções de investimento que podem multiplicar seu dinheiro através do tempo com segurança, mas não tenha pressa, aprenda o máximo que puder antes de começar para que possa fazer tudo de forma segura, tranquila e clara, sem qualquer dúvida ou confusão. 

Tornar seu dinheiro em seu servo é uma das decisões mais inteligentes que você pode tomar, primeiro porque quebrará o ciclo de influência que o dinheiro possa ter sobre você, na medida que você começará gradativamente a parar de trabalhar por ele e é ele que passará a fazer isso por você; e segundo, porque quanto mais dinheiro você tiver trabalhando para você, menos você mesmo precisará trabalhar ativamente para ganhar mais, de modo que terá mais tempo para se dedicar mais profundamente às outras prioridades, como sua família e ajuda ao próximo; saiba, porém, que isso acontecerá gradativamente até chegar em um ponto que você se tornará financeiramente independente, ou seja, seus "servos financeiros" vão ser capazes de gerar uma renda passiva suficiente para sustentar, e talvez até, elevar seu padrão de vida para outro nível.


Espero que você tenha captado a ideia desse texto e passe a usar seu dinheiro como seu servo para gerar cada vez mais servos, multiplicando seu patrimônio de modo que você possa viver muito bem, tranquilamente, sem exageros, assim como, consiga ajudar aos que necessitem também, quer estejam perto ou longe. E apenas para encerrar, compreenda que o pensamento compartilhado aqui a respeito de criar servos para a sua vida pode e deve ser utilizado com outras coisas além do dinheiro; porque como está escrito: “Melhor é o que se estima em pouco e tem servos...". Lembre-se que no contexto deste versículo, "estimar-se em pouco" não significa menosprezar a si mesmo ou algo do tipo, na verdade, significa não viver uma vida perdulária, ou seja, esbanjadora, exagerada ou ostentadora.

E que outros tipos de servos você pode ter?

Novamente eu recorro ao que está escrito em Eclesiastes 5.19 que diz: “E quanto ao homem a quem Deus deu riquezas e fazenda e lhe deu poder para delas comer, e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isso é dom de Deus.”. Tenha em mente que toda a sua riqueza e sua fazenda, ou seja, todo o seu patrimônio, seja ele muito pequeno, pequeno, médio, grande ou muito grande; todo ele deve fazer parte do seu exército de servos. E o que quero dizer com isso? Tudo o que você tem deve ser colocado para trabalhar por você de forma inteligente, quer seja literalmente gerando rendimentos financeiros, quer seja facilitando e simplificando de alguma forma sua vida e a das pessoas que o rodeiam. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c