Pular para o conteúdo principal

Eu sei as tuas obras, que não és frio nem quente... Apocalipse 3.15a



"Eu sei as tuas obras, que não és frio nem quente..." Apocalipse 3.15a


Atualmente há um número cada vez maior de pessoas não convertidas, na concepção plena bíblica da palavra, dentro das congregações; mas estas pessoas também não são completamente mundanas, elas estão, por vontade própria, em algum lugar obscuro à margem do caminho, ou seja, são não-mundanas e ao mesmo tempo não-convertidas. Nem estão completamente nas sombras porque possuem algum conhecimento e entendimento das coisas de Deus, porém, também não estão completamente na luz porque seus corações ou parte deles estão em coisas terrenas.

No caso da igreja de Laodicéia de onde eu usei o versículo de abertura desta postagem, as pessoas mantinham-se nesta condição por causa das riquezas. Seus corações estavam mais inclinados para a obtenção de posses do que para a verdadeira conversão cristã, como está escrito: "Como dizes: Rico sou e estou enriquecido, e de nada tenho falta..." Apocalipse 3.17a 

A vida daqueles crentes estava completamente voltada para as questões de riqueza; e basear a vida desta forma é viver de maneira vazia, ou seja, é viver uma vida sem vida. Para comprovar isto basta fazer uma rápida pesquisa na internet e verificar que em países desenvolvidos, onde a distribuição de riqueza é muito melhor do que em outros, os índices de suicídio são absurdos de tão elevados; isso confirma que a busca da riqueza pela riqueza não necessariamente significa contentamento ou satisfação com a vida.
Eu acredito que Deus deseja que você seja rico, mas tal riqueza só terá valor se antes você verdadeiramente for realmente convertido em Cristo; e lembre-se, conversão é transformação absoluta e definitiva, sem qualquer possibilidade de retorno.

Quem é quente, quem é morno e quem é frio?

Desde a época em que a carta para a congregação de Laodicéia foi escrita e até os dias atuais, mais e mais "híbridos", religiosos-meio-mundanos, têm se juntado a todas as congregações, mas esta condição espiritual em que se encontram e se mantém pelos mais diversos motivos, que podem ser muitos outros além das riquezas, é uma condição que para Deus é intolerável. Falarei mais sobre isso à frente. Não tenho como falar sobre os "motivos" do coração de uma pessoa que a leva a assumir uma vida nesta condição, pois são inúmeros, mas a bíblia nos alerta que: "...Onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração" Mateus 6.21.

Deus é o tesouro de todo convertido, como esta escrito: "Se te converteres ao Todo-Poderoso serás edificado..."; "...e até o Todo-Poderoso te será por ouro e por prata amontoada." Jó 22.23 e Jó 22.25; por este motivo o coração de todo convertido está completamente voltado para o Senhor, ainda que ganhe ou amontoe todo o ouro e prata do mundo para si; convertidos sabem que nem todo o ouro ou prata da terra podem ser comparados com o maior tesouro que já receberam, herdado por intermédio de Cristo; que é a própria presença e relacionamento com Deus, como está escrito: "O Senhor é a sua herança..." Deuteronômio 10.9

Aquelas pessoas que pertencem as congregações, mas não são verdadeiramente convertidas se enquadram naquilo que a bíblia chama de pessoas mornas, como está escrito: "...Porque és morno e não és frio nem quente..." Apocalipse 3.16. Ser morno é o mesmo que não ser nada; pois como vimos, tais pessoas não são cristãos embora frequentem e sejam partes, por vezes atuantes, das congregações, mas também não são completamente mundanos; vivem uma abominável "não-morte-não-vida" espiritual. Vou tentar explicar isso de uma outra maneira com um exemplo físico.

Todo corpo humano vivo possui calor e é quente porque tal calor é produzido pela existência da própria vida que há em cada pessoa. Por outro lado, todo corpo humano morto não possui calor, é frio, e tal falta de calor é sinal da falta de vida. Espiritualmente é semelhante; todos os mundanos estão espiritualmente mortos por causa do Pecado Original e também pelos seus próprios como está escrito em Tiago 1.15: "...E o pecado, sendo consumado, gera a morte."; o próprio Jesus faz menção a isso quando diz: "Deixa aos mortos o enterrar os vossos mortos..." Lucas 9.60; inclusive, todos os cristãos também, antes de se converterem, estavam espiritualmente mortos assim como o resto da humanidade, como Paulo apóstolo disse certa vez: "Estando nós ainda mortos em nossas ofensas..." Efésios 2.5a; e como mortos, possuíam espíritos frios, sem vida. Mas o fato é que quando uma pessoa mundana, ou seja, espiritualmente morta, fria, encontra Jesus que disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida" João 14.6, e se converte, tal pessoa: "Passou da morte para a vida" João 5.24, como Paulo também diz: "...Nos vivificou juntamente com Cristo..." Efésios 2.5b; portanto tal pessoa passou, diante de Deus, a ser uma pessoa verdadeiramente viva, com o espírito quente. Está é a alusão feita em Apocalipse 3.15a sobre ser frio e quente; são pessoas espiritualmente mortas e vivas, não convertidas e convertidas.

Pessoas mornas são aquelas que ainda estão espiritualmente mortas, ou seja, não são convertidas, porém vivem nas congregações como se convertidas fossem; elas são algo que o Senhor não tolera e por este motivo está escrito: "...Porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca." Apocalipse 3.16. Vomitar significa expelir abruptamente pela boca algo que o estômago não tolerou. Não há lugar para pessoas mornas no cristianismo real, o cristianismo é o Reino onde Cristo é o Rei e todos os habitantes são cristãos; não há penetras nem estrangeiros vivendo neste reino. Todos os habitantes deste reino são nascidos na casa e na presença do próprio Rei.

Para Deus é melhor que uma pessoa seja quente ou fria como está escrito: "...Tomara que foras frio ou quente." Apocalipse 3.15b, porque uma pessoa quente já está convertida, e, portanto, já agrada a Deus; e a pessoa fria pode se converter da forma correta e completa e passar a agradar ao Senhor de maneira plena, mas as pessoas mornas preferem, conscientemente, ficar em uma perigosa zona que é confortável para elas, mas intolerável para o Altíssimo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c

“Lança o teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás.” Eclesiastes 11.1

“Lança o teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás.” Eclesiastes 11.1 Imagine por um instante que você está parado junto à margem de um grande e caudaloso rio, no qual, as águas passam por você ininterruptamente em grande volume. Agora imagine que em sua mão há uma cesta de pães de onde você retira alguns deles e gradativamente lança sobre as águas, um após outro. O que acontecerá com todos os pães que você jogar no rio? Exatamente isso que você imaginou. Todos são rapidamente levados para longe de você pela correnteza. E qual é a chance de você encontra-los novamente? Praticamente nenhuma. Mas porque criei toda essa visualização mental afinal de contas?  Para que você compreenda com mais facilidade a analogia utilizada por Salomão em Eclesiastes 11.1. O fato é que toda aquela visão mental que acabei de descrever é a forma como os cristãos compreendem a "mecânica" das boas obras. Como assim? A vida é como um grande rio e a corre