Pular para o conteúdo principal

Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos. 1 Timóteo 6.17



“Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos...” 1 Timóteo 6.17

Ostentação não é riqueza!

Creio verdadeiramente que Deus quer que todo cristão seja rico, porém o conceito de riqueza que os cristãos têm é completamente diferente do que é demonstrado pelo mundo.

Faz algum tempo, eu escrevi uma postagem aqui no blog chamada "Deus quer que você seja rico",  justamente para falar sobre o conceito cristão de riqueza; e gostaria de pedir a você leitor, que, caso não tenha lido, o faça assim que possível para uma melhor compreensão do que vou compartilhar nesta postagem.

Ok. Então vamos prosseguir.

O mundo que nos cerca é um lugar repleto de ilusões sedutoras; todas construídas sobre falsas verdades, falsos conceitos e falsos valores; e é justamente sobre uma destas ilusões que vamos falar agora.
Existe uma mentalidade perniciosa bastante popular sendo cada vez mais disseminada e admirada por toda a sociedade que diz que ostentação e riqueza caminham lado a lado, mas na verdade, esta visão está completamente distorcida do correto. Quantas e quantas pessoas aparentemente ricas nos acostumamos a ver fazendo todo tipo de extravagâncias sem qualquer propósito; atletas, artistas, políticos, religiosos, empresários e até mesmos foras da lei parecem estar em uma espécie de competição para ver quem pode possuir mais coisas, muitas delas fúteis, de maior e maior preço numa busca desenfreada por obter mais status.

Repare, porém, que eu disse que aquelas pessoas são aparentemente ricas, e isso nos leva ao primeiro grande conceito contido nesta conversa:

“Ter dinheiro não é ser rico; ter dinheiro é apenas ter dinheiro.”

O grande problema é que como muitos ícones das sociedades ao redor do mundo se portam dessa forma deturpada, agindo como se a ostentação e a riqueza fossem uma coisa só, isso acaba criando uma reação mental em cadeia que implanta dentro das cabeças das pessoas de todas as classes sociais que esse comportamento é correto e louvável.

Então eu lhes pergunto: Quantos ícones sociais já perderam todo o seu dinheiro por causa de viver uma vida de ostentação? Ou seja, Quantos grandes atletas, políticos, celebridades, artistas, religiosos, empresários e outros já perderam tudo, faliram completamente?

A resposta é: Milhares, talvez milhões. Eu poderia lhe dar uma lista gigantesca para cada uma das áreas citadas acima, mas tenho certeza de que você mesmo conhece pelo menos algumas histórias deste tipo. Se você fizer uma rápida pesquisa no Google vai encontrar diversas pessoas que se enquadram neste perfil, possuíam muito dinheiro e nenhuma riqueza ou prosperidade, e como apenas ter dinheiro (que é o que estas pessoas chamam de riqueza) é incerto; perderam tudo.

Infelizmente o mundo trabalha muito rápido para encobrir estes casos e manter a aparência dessas ilusões, desta forma as pessoas não conseguem ver a verdade a menos que estejam firmadas sobre a visão correta. Se você deseja enriquecer, saiba que Deus também deseja que você o faça desde que você compreenda completamente o que Ele chama de riqueza, entenda e aplique a prosperidade, abundância e multiplicação Divinas na sua vida e se livre desta mentalidade mundana chamada ostentação.

Ostentação é uma obra da carne e ostentadores são pessoas que acham que o dinheiro é o fim de todas as coisas, eles não enxergam que aquilo o que chamam de riqueza é algo incerto que podem perder justamente pela forma esbanjadora e exagerada como vivem. A bíblia mostra claramente a diferença entre uma pessoa ostentadora e uma moderada; está escrito:

"Tesouro desejável e azeite há na casa do sábio, mas o homem insensato os desperdiça." Provérbios 21.20 E.R.A

O sábio é moderado, por esse motivo junta um tesouro desejável em sua casa; mas o ostentador é insensato, desperdiça o que tem ainda que ganhe muito e acabará por perder tudo; lembre-se da parábola do filho pródigo e da forma como ele desperdiçou sua herança até perdê-la por completo e chegar a passar por severas necessidade; eis um trecho do relato bíblico que mostra bem isso: "...O filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua e ali desperdiçou a fazenda, vivendo dissolutamente." Lucas 15.13. Note que foi dito que ele desperdiçou suas posses (Fazenda); desperdiçar é, segundo o dicionário: Gastar sem proveito, em excesso; esbanjar. Ou seja, desperdiçar e ostentar são exatamente a mesma coisa.

Pessoas ostentadoras (esbanjadoras, desperdiçadoras) acham que status é mais importante que segurança, liberdade e independência, financeiramente falando; a esperança delas é de que o dinheiro nunca acabará e suas tralhas compradas muitas vezes a preço de ouro possam lhe proporcionar status e resolver tudo em suas vidas; sua crença é que a demonstração de que possuem muito dinheiro através do consumo desenfreado de bens e serviços desnecessários é o que lhes qualifica como ricos.

A principal missão desta postagem aqui é fazer uma distinção clara para você do que é ostentação, pois ostentar nunca foi algo tão comum e incentivado na sociedade como nos dias atuais; o meu desejo é mostrar que isso não é o que o mundo diz que é, na verdade, é uma grande armadilha que compromete toda a vida de milhares de pessoas ao redor do planeta.

A segunda missão desta postagem é mostrar que qualquer pessoa pode viver uma vida repleta de plenitude, prosperidade, abundância, significado, riqueza, e propósito desde que compreenda que sua busca não é por dinheiro, pura e simplesmente, mas sim por segurança, liberdade, independência; e neste caso, libertar-se do pensamento mundano de ostentação fará toda a diferença entre viver como um escravo ou como senhor de sua própria vida, porque ostentadores são escravos do consumismo, são escravos dos desejos humanos, seus e dos outros, e diga-se de passagem que como os desejos humanos são ilimitados a escravidão deles tenderá a ser também.

Ostentadores são escravos de grandes corporações, pois as empresas lançam seus produtos todos os anos e os ostentadores os compram, mesmo que não precisem, mesmo que as diferenças entre o antigo produto e o novo sejam mínimas, mesmo que o produto não lhe dê qualquer benefício e mesmo assim custe muito; e tudo isso apenas para satisfazer sua vaidade de impressionar a quem os rodeia; e isso nos leva a outra parte do problema. Essa mentalidade de ostentação não está restrita apenas àquelas pessoas que possuem muito dinheiro como as citadas anteriormente, na verdade, ela afeta principalmente e em sua maioria pessoas que não tem tanto dinheiro para gastar com tolices; pessoas que muitas vezes precisam fazer verdadeiros sacrifícios para conseguir pagar ou manter algo que comprou por pura vaidade. Quantas pessoas você conhece que são escravos de marcas famosas, por ex? Basta dizer que nunca houve tantas pessoas endividadas e superendividadas como atualmente; e quando falo superendividadas estou falando daquelas pessoas que já não conseguem mais pagar suas dívidas.

A grande dica aqui é: Esqueça-se daquela imagem de riqueza passada por filmes e seriados onde o rico esbanja o máximo que pode sem qualquer consequência. Não escute o que o mundo diz sobre ser rico apenas para consumir tudo desesperadamente; viva a vida em um padrão em que você possa se manter sempre de forma folgada (isso acontece quando a pessoa busca viver abaixo de suas possibilidades), não procure financiar sua vida ostentando ao custo de sacrifícios para atender vaidades. Aprenda na bíblia sobre a riqueza, a abundância e a multiplicação de Deus para a sua vida e viva isso, pois essa é a vontade do SENHOR para você.

Ponha sua esperança, não no dinheiro, "...mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos." 1 Timóteo 6.17

Não seja escravo do mundo através da ostentação; seja livre em Cristo através da compreensão. "Façam o bem, enriqueçam em boas obras, repartam de boa mente e sejam comunicáveis." 1 Timóteo 6.18

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c

“Lança o teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás.” Eclesiastes 11.1

“Lança o teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás.” Eclesiastes 11.1 Imagine por um instante que você está parado junto à margem de um grande e caudaloso rio, no qual, as águas passam por você ininterruptamente em grande volume. Agora imagine que em sua mão há uma cesta de pães de onde você retira alguns deles e gradativamente lança sobre as águas, um após outro. O que acontecerá com todos os pães que você jogar no rio? Exatamente isso que você imaginou. Todos são rapidamente levados para longe de você pela correnteza. E qual é a chance de você encontra-los novamente? Praticamente nenhuma. Mas porque criei toda essa visualização mental afinal de contas?  Para que você compreenda com mais facilidade a analogia utilizada por Salomão em Eclesiastes 11.1. O fato é que toda aquela visão mental que acabei de descrever é a forma como os cristãos compreendem a "mecânica" das boas obras. Como assim? A vida é como um grande rio e a corre