Pular para o conteúdo principal

"Os que confiam no SENHOR serão como o monte Sião..." Salmos 125.1



"Os que confiam no SENHOR serão como o monte Sião, que não se abala, mas permanece para sempre." Salmos 125.1

Algumas postagens atrás eu prometi que falaria um pouco mais sobre confiar em Deus e este texto é justamente para fazer isso. Portanto, convido você, leitor, a repensar rapidamente o que você sabe sobre confiar em Deus, e para isso eu começo fazendo uma pergunta bem simples:

O quanto você confia em Deus?

Como você já deve ter percebido, esta é uma pergunta simples, mas não é tão fácil de responder. É preciso parar um segundo e olhar para dentro de si mesmo em busca da resposta. E só existem três respostas possíveis para esta indagação; são elas:

Ou você confia pouco;
Ou confia razoavelmente;
Ou confia totalmente.

Certo?

Errado.

Duas daquelas respostas estão completamente erradas, elas são usadas por mundanos que ainda não conhecem o SENHOR, mas querem passar uma imagem de que têm algum grau de espiritualidade, mesmo que esse grau seja mínimo, ou seja, são pessoas religiosas, apenas. Biblicamente só existe uma única forma de confiar em Deus e é confiar completamente Nele. Se uma pessoa confia pouco ou razoavelmente, isso significa que não confia nada. A única confiança verdadeira em Deus é a confiança total; por isso está escrito: "Confia no senhor de todo o seu coração e não te estribes em teu próprio entendimento." Provérbios 3.5. Perceba que o versículo diz: "...de todo o seu coração...". Moisés, Davi, Paulo, Débora, Maria e todos os grandes nomes da bíblia só fizeram grandes feitos porque confiavam completamente em Deus. Da mesma forma, você e eu faremos grandes coisas quando aprendermos a confiar completamente em nosso Criador.

O verso de Provérbios 3.5 não diz, confia no Senhor com parte do seu coração. Você entende? Confiança só é confiança se for total. Uma mulher pode dizer que confia em seu marido se o vigia de perto todo o tempo, verifica suas mensagens, e-mails e outras coisas deste tipo? Ou, um homem pode dizer que confia em sua esposa se não permite que ela faça as suas coisas sem que ele esteja sempre por perto observando? Será que alguém pode dizer que confia em outrem se não acredita nas palavras deste outro?
Espiritualmente é a mesma coisa; como podemos dizer que confiamos em Deus se tivermos qualquer ressalva, dúvida ou reserva quanto a capacidade Dele suprir em abundância nossa vida em todas as coisas e cumprir as promessas que nos fez?

Nós confiamos pouco ou razoavelmente em outras pessoas, porque pessoas têm tendência a mentir e a se arrepender de suas palavras, e mesmo assim, confiar pouco em alguém significa que você não confia realmente. Imagine por um instante se seu pai, mãe, filho, filha ou qualquer outras pessoa que você ame lhe dissesse a seguinte frase: Eu confio em você, mas só um pouco. Como você se sentiria? Uma frase assim é apenas um modo educado de dizer claramente que não somos pessoas confiáveis.

Com seres humanos, confiar pouco é relativamente normal porque do contrário passaríamos a vida inteira sendo enganados, ludibriados e feridos por outras pessoas. Infelizmente "Confiar desconfiando", como se diz, chega até a ser uma forma de proteção. O problema acontece quando querermos usar da mesma forma com que "confiamos" nas pessoas para o nosso relacionamento com o SENHOR e isso não é certo; por um motivo muito simples.

Está escrito no livro de Números 23.19:

"Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa..."


Ora! Se Deus não mente e não se arrepende; porque as pessoas (você e eu) não confiamos completamente Nele? Não há motivos para não confiarmos 100% Nele, visto que o Senhor não falha, não erra, não muda, não mente e não se arrepende. Confiar plenamente em Deus é dar um grande passo na direção da realização de tudo aquilo que Ele tem preparado para nossas vidas.

Quando você começar a exercitar este tipo de entendimento de fé, muitas coisas novas vão se transformar em seu estilo de vida; primeiro, dentro de você: Pra começar, o mundo ao seu redor já não vai mais atingi-lo tanto quanto pode estar atingindo atualmente, os ventos de crise, desemprego, violência, escassez, entre outros, que estão sempre açoitando as pessoas todos os dias de suas vidas já não terão mais qualquer efeito sobre seus pensamentos; seu coração estará livre de medos e isso fará com que você seja inabalável como uma montanha; como está escrito: "Os que confiam no SENHOR serão como o monte Sião, que não se abala, mas permanece para sempre." Salmos 125.1

A segunda mudança importante que ocorrerá será ao seu redor. Quando sua visão de fé estiver unida a esta confiança plena e absoluta em Deus tudo em sua volta vai se modificar, simplesmente porque seu modo de ver as coisas terá mudado; você verá oportunidades onde outros verão problemas; você verá possibilidades onde as demais pessoas verão crises, você renovará suas forças quando os outros estiverem desistindo; experimentará Paz quando todos estiverem em caos, visualizará as vitórias e o sucesso onde todos estiverem enxergando apenas derrotas e fracasso.

Esta é a força da verdadeira confiança que Jesus deseja manifestar em sua vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

Pedis e não recebeis, porque pedis mal... Tiago 4.3

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." Tiago 4.3 Esta, sem dúvidas, é uma das frases mais conhecidas do livro de Tiago, mas durante algum tempo tive certa dificuldade de me aprofundar na grande lição contida nela. Será que você já conseguiu extrair deste versículo algo além daquilo que está na superfície? É o que tentaremos fazer agora. Creio que o hábito de pedir seja o mais intuitivo, natural e automático que possuímos, principalmente porque Jesus disse: "Pedi e dar-se-vos-a..." ; "o que pede recebe" e ainda, "tudo que pedirdes em meu nome eu o farei..." Somos ensinados e acostumados a pedir; há alguns até que se tornam viciados em fazê-lo, alguns tratam o Senhor absoluto do universo como se Ele fosse uma espécie de "gênio da bíblia", ou seja, na mentalidade destas pessoas Deus serve apenas para realizar seus desejos não importando o quão banais, vaidosos, egoístas, hedonista

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c