Pular para o conteúdo principal

Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou. Gálatas 5.1




"Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão." Gálatas 5.1

Que passagem maravilhosa esta! Ela é sem dúvida uma das palavras bíblicas que mais abriram meus olhos desde minha conversão e continua fazendo isso todos os dias em que me debruço sobre ela para estudá-la.
Este versículo fala sobre uma das coisas mais valiosas que Deus concedeu a nós cristãos. Liberdade verdadeira. Mas será que realmente compreendemos amplamente a aplicação prática deste verso em nossas vidas?

Qual é a única coisa que temos certeza de que vamos fazer na vida? Você tem três segundos para pensar:

1 segundo...
...2 segundos...
...3 segundos.

A resposta é: Escolhas.

A primeira coisa que precisamos compreender aqui é que a liberdade não significa poder fazer qualquer coisa; mas sim que, liberdade significa ter o poder de escolha. Ou seja, livre não é o homem que faz o que quer; livre é aquele que escolhe não fazer o que quer. Eu sei que isso parece apenas um jogo de palavras, mas não é.

Paulo, apóstolo, era um homem livre e disse: "Todas as coisas me são lícitas (permitidas), mas nem todas me convém; todas as coisas me são lícitas, mas não me deixarei dominar por nenhuma" 1 Coríntios 6.12; em outras palavras, Paulo escolhia não fazer certas coisas, mesmo que tais coisas lhe fossem permitidas. Essa é a postura de um homem realmente livre.

As escolhas são as únicas certezas que temos da vida; durante nossa caminhada aqui na terra teremos de fazer um número incontável de escolhas. Todos os dias fazemos milhares delas e muitas vezes nem nos damos conta disso. Eis duas frases que tenho certeza que você já ouviu alguém dizer:

1: Suas escolhas definem você.
2: Você faz suas escolhas e suas escolhas fazem você.

Estas duas frases são realidade e mostram bem o quão importantes são nossas escolhas. A própria bíblia nos ensina que devemos sempre procurar fazer as melhores escolhas, como está escrito em: "...que tenho proposto a vida e a morte, a benção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente." Deuteronômio 30.19
Todos os dias Deus nos mostra o que é bom e o que não é; todos os dias Ele nos fala quais caminhos são caminhos de vida e quais são caminhos de morte (pecado) "Porque o salário do pecado é a morte" Romanos 6.23. Todos os Dias Jesus revela para nós quais as escolhas são benéficas (bençãos) para nossas vidas e quais são maléficas (maldição); e Ele deseja que façamos as melhores escolhas desde as mais simples até as mais complexas; porém, somos nós que devemos fazer as escolhas. "...escolhe, pois, a vida, para que vivas..."

Então, dito isso, tenho uma pergunta a fazer:
Se as escolhas são tão importantes e são a única certeza de que temos da vida, por que muitas pessoas (a maioria) abrem mão de fazer suas próprias escolhas?
No mundo esta pergunta têm várias respostas, mas a grande verdade é que uma única resposta basta para satisfazer esta questão, e é a seguinte:
As pessoas abrem mão de fazer as próprias escolhas porque, na verdade, não podem fazê-las. A grande maioria das pessoas que caminha sobre a face da terra é escrava, e escravos não possuem poder de escolha; eles fazem o que seus senhores ordenam. Algumas pessoas são escravas do dinheiro, outras do status, outras da fama, outras do prazer, outras dos vícios, outras dos próprios sentimentos, outras do consumismo, outras das religiões e de tantas e tantas coisas tais como estas.

Elas são escravas e nem se dão conta disso; então eis alguns exemplos comuns de nossa vida:

Homens compram carros caros para pagar durante cinco, às vezes, seis anos, e ao término deste tempo quando finalmente se livraram da obrigação/dívida, o que eles fazem? Trocam seu carro, que na maioria das vezes ainda está perfeito para uso, por outro, e readquirem uma nova obrigação/dívida, geralmente mais cara do que a primeira, de mais cinco ou seis anos. Se isso não é uma escravidão, então não sei mais o que possa ser. Há pessoas fazendo isso há vinte, trinta, quarenta anos e achando normal.

Então você pode pensar:

Ora! Quer dizer que eu não posso comprar um carro em um financiamento? A maioria das pessoas não têm dinheiro para pagar por um automóvel à vista.

Eu sei disso, e o que estou dizendo é apenas que o hábito de ficar fazendo este tipo de negócio é um hábito nocivo que tem escravizado as pessoas; se um convertido também faz isso, como as pessoas do mundo estão fazendo, ele está tomando sobre si o julgo da servidão, pois adquirindo uma dívida ele perde sua liberdade, seu poder de escolha fica drasticamente prejudicado; nós cristãos, somos ensinados com a seguinte palavra: "não torneis a meter-vos debaixo do julgo da servidão.". Mas este exemplo do carro foi apenas um, porém, há muitos outros.

Algumas pessoas são escravas de seus empregos:

Muitos indivíduos trabalham em empregos que odeiam, mas como precisam trocar suas horas diárias por salário, toleram viver desta forma porque suas más escolhas passadas os colocaram em uma situação de precisar deste dinheiro para pagar suas contas, se manter ou manter sua família. O grande problema deste tipo de vida é que a qualidade quase não existe e o estresse gerado no cotidiano pode causar males no futuro, seja para a própria pessoa, para a família ou mesmo para a sociedade. Segundo pesquisas, no Brasil e no mundo, um número entre 70 a 80% das pessoas estão insatisfeitas com seus trabalhos, mas continuam fazendo o que fazem mesmo recebendo uma grande carga "venenosa" de insatisfação, estresse e sofrimento. Vivem uma das novas faces da escravidão moderna.

Outras são escravas dos conhecidos, amigos e amigas:

Vivemos nos dias de hoje, mais do que em qualquer outra época humana, um pensamento de "comunidades"; expressões como "aldeia global" e "tribos sociais" nunca fizeram tanto sentido, porém, em muitos aspectos este pensamento de comunidade está deformado; estamos substituindo o pensamento de sociedade por um de comunidade tribal que mais se assemelha a uma turba. Não quero me alongar aqui, mas basta dizer que muitas pessoas estão abrindo mão de seu poder de escolha para que as suas "comunidades ou tribos" (amigos, amigas, conhecidos e conhecidas) façam as escolhas por elas. O problema disso é que tais comunidades costumam cegar as pessoas; elas perdem a visão da individualidade e só conseguem ver aquilo que a comunidade vê, por este motivo muitas pessoas estão vivendo vidas muito aquém daquilo que Deus deseja para elas. Como está escrito: "...o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhe resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus." 2 Coríntios 4.4

Cristãos, porém, não devem viver desta forma; cristãos vivem, livres, fazendo suas escolhas baseadas na fé que possuem, procurando se afastar de todas as coisas que aprisionam o mundo e buscando de Deus a visão única que norteia suas vidas, mas, acima de tudo, cristãos não devem tomar novamente sobre suas vidas os comportamentos e pensamento da escravidão social moderna que há no mundo.

Mantenha-se livre fazendo suas próprias escolhas em Cristo.

Comentários

  1. Muito bom! Inteligente, sábio e bem escrito. Guiado pelo espírito santo de Deus. Me senti abençoada. Obrigada!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Karen.
      Sua visita, leitura e comentários são bençãos de Deus para mim. Muito obrigado.
      Que o SENHOR, nosso Deus, Abençoe você poderosamente.

      Excluir
  2. Muito, muito bom mesmo parabéns..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigado por sua visita, leitura e comentário. Deus abençoe sua vida abundantemente.

      Excluir
  3. Abriu muito meu entendimento, sobre essa passagem bíblica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      É com grande satisfação que respondo o seu comentário. Obrigado por deixá-lo aqui.
      Que o SENHOR, nosso Deus te aumente mil vezes mais do que sois, e te abençoe como te tem falado.
      Paz.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Olá!
      Obrigado por comentar aqui.
      Fico contente em saber que o texto foi útil a você.
      Que todos os seus pensamentos, sentimentos, emoções, palavras e ações sejam dirigidas pela maravilhosa sabedoria do Altíssimo.
      Grande abraço.😊

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20

“...Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18.20 Neste texto nós vamos conversar um pouco sobre os benefícios que uma congregação saudável produz na vida de todos aqueles que fazem parte dela; e tenha em mente que congregar significa justamente se reunir com outras pessoas em nome de Jesus, como relatado em Mateus 18.20. Em vários dos textos que tenho compartilhado aqui, procurei falar sobre como o espírito do mundo se infiltrou nas congregações através dos séculos para corromper os sentidos daqueles que as compõem e desvirtuá-los de seguir o verdadeiro caminho de Cristo Jesus, induzindo muitos a praticar todo tipo de estranhezas, distorções da Palavra, e até, a desistir de congregar. Por isso também foi escrito que: "E vindo o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, Veio também Satanás entre eles." Jó 1.6 Quais são os benefícios de uma congregação saudável? Na verdade a lista de

A alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8.10

"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força." Neemias 8.10 No cristianismo há duas relações diretas que afetam grandemente a nossa vida caso tenhamos o devido conhecimento delas para usarmos da forma correta e a nosso favor. E que relações são estas? Como você já deve imaginar por causa do título deste texto estamos falando de alegria e força , assim como de tristeza e fraqueza, ou seja, alegria é igual a força e tristeza é igual a fraqueza; porém o foco de nossa conversa será completamente sobre as duas primeiras.  Cristãos conhecem profundamente isso e usam este entendimento a seu favor; o meu desejo ao escrever este texto é que você também possa fazer o mesmo de modo a fortalecer sua vida cada vez mais. Algumas pessoas podem ter certa dificuldade em entender a necessidade vital que os cristãos têm de se alegrar, de proteger e multiplicar a alegria; tais pessoas podem perguntar: Por que devo me alegrar se as c

“Lança o teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás.” Eclesiastes 11.1

“Lança o teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás.” Eclesiastes 11.1 Imagine por um instante que você está parado junto à margem de um grande e caudaloso rio, no qual, as águas passam por você ininterruptamente em grande volume. Agora imagine que em sua mão há uma cesta de pães de onde você retira alguns deles e gradativamente lança sobre as águas, um após outro. O que acontecerá com todos os pães que você jogar no rio? Exatamente isso que você imaginou. Todos são rapidamente levados para longe de você pela correnteza. E qual é a chance de você encontra-los novamente? Praticamente nenhuma. Mas porque criei toda essa visualização mental afinal de contas?  Para que você compreenda com mais facilidade a analogia utilizada por Salomão em Eclesiastes 11.1. O fato é que toda aquela visão mental que acabei de descrever é a forma como os cristãos compreendem a "mecânica" das boas obras. Como assim? A vida é como um grande rio e a corre